Geral

Exploração de escândalo deve marcar reta final da campanha em MS

A última semana antes das eleições de domingo, 3 de outubro, deve ser marcada pela exploração do escândalo que assolou os três poderes de Mato Grosso do Sul. Dirigentes partidários e assessores dos candidatos ao governo do Estado confirmam a tendência. O abalo político-institucional foi causado por divulgação de vídeo no qual o primeiro-secretário da […]

Arquivo Publicado em 27/09/2010, às 12h18

None

A última semana antes das eleições de domingo, 3 de outubro, deve ser marcada pela exploração do escândalo que assolou os três poderes de Mato Grosso do Sul. Dirigentes partidários e assessores dos candidatos ao governo do Estado confirmam a tendência. O abalo político-institucional foi causado por divulgação de vídeo no qual o primeiro-secretário da Assembleia, deputado estadual Ary Rigo (PSDB) aparece relatando suposta partilha de dinheiro público entre os poderes.

Amanhã à noite, os três candidatos ao governo do Estado, André Puccinelli (PMDB) que busca a reeleição, o ex-governador Zeca do PT e Nei Braga (Psol) participam de debate na TV Morena, afiliada da Rede Globo. Hoje, os três passam a maior parte do dia se preparando para o embate, segundo informação de assessores. O escândalo deve vir à tona.

Questionado, o gerente de jornalismo da TV Morena, Alfredo Singh, explicou que a equipe não impedirá a discussão do tema, porém, não permitirá excessos dos candidatos como xingamentos e troca de ofensas na discussão. As regras do debate foram definidas com a participação de representantes dos candidatos.

Conforme Alfredo Singh, a TV Morena poderá até interromper o debate e chamar os comerciais para impedir que eventual bate-boca seja transmitido. “A gente conta com o bom senso dos candidatos. Não queremos que o debate se transforme em um horário eleitoral gratuito. A ideia é debater as propostas de cada candidato e não trocar agressões”, mencionou.

As regras preveem que se um candidato citar o adversário de forma ofensiva, ele terá 1 minuto para resposta, desde que solicite o direito. O ofendido deve se limitar ao tema, caso peça direito de resposta.

Os candidatos não poderão dispor de papeis ou pastas durante o debate. A apresentação de documentos ou dossiês não é permitida. Cada candidato pode se dirigir à emissora acompanhado de até três assessores que poderão auxiliá-lo nos intervalos.

Zeca do PT

Nesta semana, Zeca do PT pode cumprir ainda agenda em Corumbá e Dourados a pedido de militantes e lideranças da região, mas não estão definidos dia da semana, horário ou programação.

Porém, já se sabe que os petistas devem aumentar o questionamento ao escândalo que atingiu diretamente o governador André Puccinelli. Para o PT, o escândalo ainda é “grande assunto da semana”.

No vídeo, o deputado estadual Ary Rigo menciona que devolvia R$ 2 milhões ao governador. Puccinelli nega irregularidades, mas já mudou sua versão sobre a devolução de dinheiro ao menos duas vezes.

Puccinelli

A assessoria de comunicação de Puccinelli informou que a agenda final da campanha será definida em reunião amanhã. A ideia é que o governador ainda cumpra compromissos na Capital e no interior do Estado, como caminhadas, carreatas e comícios. Sobre a exploração do escândalo por adversários, a assessoria informou que tal discussão ainda não foi feita.

Nei Braga

O candidato do Psol encerrou sua campanha no interior com caminhada realizada no sábado em Dourados. O presidente regional da legenda, Lucien Rezende, explicou que nesta semana, o candidato deve se concentrar na Capital. “Vamos fazer os últimos contatos pessoalmente e por telefone com os militantes”, planeja Rezende.

Sobre o debate, Rezende adiantou que o candidato do Psol aproveitará para marcar posição de “único partido de esquerda nesta eleição”. “Acho que temos que bater nos dois [Zeca e Puccinelli]. Os dois têm coisas podres. Somos o único partido diferente”, afirma.

Debate

A TV Morena divulga em seu site as regras do debate de amanhã. O evento será transmitido pela TV Morena a partir das 21h15, após a novela Passione. Os internautas poderão acompanhar flashes também pelo Portal da TV Morena. A mediação será feita pela jornalista Poliana Abritta, da sucursal da Rede Globo em Brasília.

De acordo com as regras, o debate ocorrerá por meio de perguntas entre os candidatos, ‘com ênfase no aprofundamento do programa de governo’. O debate terá quatro blocos. No último bloco os candidatos terão, ainda, 1 minuto para as considerações finais.

A ordem sobre a disposição dos candidatos na mesa e quem abre as perguntas serão definidos em sorteio momento antes do início do debate. As perguntas serão feitas de candidato para candidato, apenas com a condução do mediador.

No primeiro bloco as perguntas serão sobre temas determinados. Serão seis temas extraídos em sorteio de um conjunto de 12 assuntos previamente elencados pela emissora. No segundo bloco, as perguntas serão sobre temas livres. O terceiro bloco volta com perguntas sobre assuntos específicos e o quarto e último bloco a temática volta a ser livre.

No início de cada bloco será feito sorteio para escolha do candidato que faz a primeira pergunta. Caberá ao candidato escolhido para a primeira pergunta escolher a quem ela é dirigida. O candidato escolhido para a resposta faz, em seguida, pergunta ao candidato que ainda não perguntou ou não respondeu. 

As regras divulgadas nesta matéria estão disponíveis no site da TV Morena.

Jornal Midiamax