Geral

Escolagov discute diversidade no serviço público no Canadá

O diretor-presidente da Fundação Escola de Governo de Mato Grosso do Sul (Escolagov), Édio de Souza Viegas, esteve em Ottawa no Canadá, onde participou de dois cursos sobre diversidade no serviço público. Estas ações fazem parte do projeto de cooperação Brasil-Canadá, coordenado pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap) em parceria com outras seis instituições […]

Arquivo Publicado em 14/12/2010, às 12h22

None

O diretor-presidente da Fundação Escola de Governo de Mato Grosso do Sul (Escolagov), Édio de Souza Viegas, esteve em Ottawa no Canadá, onde participou de dois cursos sobre diversidade no serviço público. Estas ações fazem parte do projeto de cooperação Brasil-Canadá, coordenado pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap) em parceria com outras seis instituições brasileiras, entre elas a Escolagov.

Os cursos “Diversidade – Visão e Ação” e “Liderando uma Força de Trabalho Diversificado” foram realizados no período de 15 a 19 de novembro e ministrados pelo diretor-assistente dos programas de Desenvolvimento de Liderança e Gerenciamento da Escola Canadense de Serviço Público, Raynald Proulx, para uma delegação composta por 11 brasileiros.

O grupo é formado por representantes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Secretaria de Administração do Estado da Bahia (SAEB), Instituto Municipal de Administração Pública (IMAP) de Curitiba, Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), Universidade Federal do Pará (UFPA) e Escola de Governo de Mato Grosso do Sul.

A discussão sobre diversidade, segundo explicou o diretor-presidente da Escolagov, já está em sua terceira etapa, sendo que a primeira foi um workshop internacional realizado em 2009 e a segunda, uma mesa-redonda que resultou em livro com propostas e práticas de sucesso em processos educacionais na área.

Conforme Édio Viegas, a idéia da diversidade nesta escola canadense está baseada em quatro princípios: respeito, justiça, relevância e inclusão, pontos fundamentais para que todos tenham seu devido espaço na sociedade.

“O Canadá é muito rico em diversidade, pois é um país bilíngue e com uma significativa porcentagem de estrangeiros. A perspectiva é que em 20 anos, quase 50% da população terá vindo de outros países”, acrescentou.

Uma reunião está marcada para o período de 13 a 15 de dezembro, na Enap em Brasília, para discutir a formatação que estes cursos deverão ter para serem implantados no Brasil e em seguida, adaptados para Mato Grosso do Sul já no programa de ações do ano que vem.

“Discutir diversidade no serviço público é fundamental para melhorar o ambiente de trabalho e consequentemente, a prestação do serviço prestado à população”, concluiu o dirigente.

Jornal Midiamax