Geral

Empresa de medicamento faturou R$ 10 milhões nos últimos meses da gestão de Tetila

Criada em novembro de 2007, a empresa, que tem como sócio Eduardo Uemura, vendeu em 60 dias R$ 2,7 milhões sem licitação

Arquivo Publicado em 24/03/2010, às 12h15

None

Criada em novembro de 2007, a empresa, que tem como sócio Eduardo Uemura, vendeu em 60 dias R$ 2,7 milhões sem licitação

Criada em primeiro de novembro de 2007 a empresa Anasil Produtos Hospitalares Ltda conseguiu vender para a Prefeitura de Durados R$ 3.196.485,29 através de dez contratos sem a realização de processo licitatório, que tinha valor total de R$ 4.949.792,09.

Desse total, pouco mais de R$ 2,7 milhões foram vendidos em apenas dois meses entre primeiro de novembro a 31 de dezembro de 2007. O restante foi vendido no início do ano seguinte.

Os contratos foram firmados sob as bênçãos do ex-prefeito Laerte Tetila e do secretário Municipal de Saúde da época, o cirurgião-dentista João Paulo Barcellos Esteves.

Conforme dados da Receita Federal a Anasil foi aberta em novembro de 2007, poucas semanas depois que o sistema de saúde saiu das mãos do Hospital Evangélico e foi municipalizado com a ativação dos Hospitais da Mulher e de Urgência e Trauma, atual Hospital da Vida.

A Anasil tem como sócio Eduardo Takashi Uemura, que também é proprietário do Hospital Santa Rosa, alugado pela Prefeitura de Dourados em outubro de 2007, na gestão de Tetila,  para dar lugar ao Hospital da Mulher.

Figura também como sócio da Anasil, que tem escritório na Rua Nelson de Araújo, 435, no centro de Dourados, Edson Hiroshi Ikeda.

Em 2008, último ano da administração do ex-prefeito Laerte Tetila, a empresa de Uemura conseguiu vencer sete licitações através de pregão presencial no valor total de R$ 5.738.739,80.

A Anasil acabou recebendo apenas R$ 2.967.476,27 dos medicamentos fornecidos para atender ao SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Hospitais da Mulher e de Urgência e Trauma e ainda para a Vigilância epidemiológica.

Nos últimos 14 meses da administração de Laerte Tetila a Anasil firmou dezessete contratos com a Prefeitura no valor de R$ 10.688.531,89.

Deste total a empresa de Uemura recebeu R$ 6.163.961,56, correspondentes ao valor dos medicamentos fornecidos à Prefeitura.

Os contratos firmados entre a Prefeitura e a Anasil entre os anos de 2007 e 2008, desde a deflagração da Operação Owari em junho do ano passado, estão em posse do Poder Judiciário.

Um mandado de busca e apreensão assinado pela juíza da primeira Vara Criminal de Dourados, Dileta Terezinha Souza Thomas, garantiu a posse e a guarda dos contratos para a Justiça, que está encarregada de analisar e julgar todos os envolvidos na Operação Owari.

O prefeito Laerte Tetila disse ao Midiamax que os contratos feitos com a Anasil foram feitos dentro da legalidade e que não existe nenhuma irregularidade.

O ex-prefeito afirmou que os contratos foram firmados sob a forma de consignação, ou seja, a empresa contratada forneceria os medicamentos conforme a demanda da Prefeitura. Por força de contrato, segundo ele, a Anasil receberia apenas pelo medicamento vendido a Prefeitura.

Tetila explicou que a contratação da Anasil diminuiria em muitos os custos da Prefeitura, que não necessitaria de contratar funcionários, pagar encargos sociais, pagar aluguel de um prédio e muito menos pagar contas de água, luz e telefone.

O ex-prefeito acrescenta que no caso de um medicamento com prazo de validade vencido a responsabilidade seria da empresa contratada.

Tetila disse que na época a Prefeitura teve que agir rápido para implantar dois hospitais em menos de sessenta dias já que o Hospital Evangélico havia deixado de atender pelo SUS (Sistema Único de Saúde) os serviços de pronto socorro, ambulatoriais e de maternidade.

Assim como Tetila, o ex-secretário João Paulo Esteves afirmou que a Anasil foi contratada porque nenhuma outra empresa se interessou em fornecer medicamentos à Prefeitura na forma de consignação.

“Falamos com o dono do Hospital Santa Rosa, que imediatamente se prontificou a fornecer os produtos”, disse o ex-secretário, que atualmente reside em Campo Grande.

Depois de atender dez contratos com dispensa de licitação, a Anasil Produtos Hospitalares Ltda venceu em 2008 mais sete licitações, o que dá a entender que durante o último ano da administração de Laerte Tetila nenhuma outra empresa conseguiu suplantar as propostas apresentadas pela empresa de Eduardo Uemura.

Jornal Midiamax