Geral

Em nota, empresário desmente revista sobre lobby de ministra

Uma nota atribuída ao empresário Fábio Baracat, que espalhou-se por vários blogs na noite de deste sábado (11), desmente a reportagem publicada na edição deste final de semana da revista Veja, segundo a qual a ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, teria feito lobby em favor da empresa Via Net com os Correios. A publicação […]

Arquivo Publicado em 12/09/2010, às 01h07

None

Uma nota atribuída ao empresário Fábio Baracat, que espalhou-se por vários blogs na noite de deste sábado (11), desmente a reportagem publicada na edição deste final de semana da revista Veja, segundo a qual a ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, teria feito lobby em favor da empresa Via Net com os Correios. A publicação sustenta relato atribuído ao empresário sobre uma suposta negociação com Israel Guerra, filho da ministra, que teria gerado 6% de pagamento de propina num contrato avaliado em R$ 84 milhões.


“Fui surpreendido com a matéria publicada na revista Veja neste sábado, razão pela qual decidi me pronunciar e rechaçar oficialmente as informações ali contidas”, diz o empresário na nota.


Segundo a revista, a ministra teria atuado para viabilizar negócios nos Correios intermediados por uma empresa de consultoria de seu filho, Israel Guerra. Segundo a reportagem, Erenice teria se encontrado com o empresário Fábio Baracat, ex-sócio da MTA Linhas Aéreas, que atua com transporte de correspondências. A atual ministra nega os encontros fora de agenda oficial.


A publicação afirma que, para conseguir fechar um contrato da empresa Via Net com os Correios, Baracat teria feito um pagamento de propina equivalente a 6% do valor do contrato avaliado em R$ 84 milhões. O dinheiro seria usado para saldar “compromissos políticos”, conforme teria dito a ministra Erenice.


Mais cedo, a ministra-chefe da Casa Civil divulgou nota oficial, neste sábado (11), na qual rebate a reportagem da revista Veja e informa que pretende colocar à disposição seu sigilo fiscal, bancário e telefônico, assim como o de seus familiares.


“Sinto-me atacada em minha honra pessoal e ultrajada pelas mentiras publicadas sem a menor base em provas ou em sustentação na verdade dos fatos, cabendo-me tomar medidas judiciais para a reparação necessária”, diz a ministra Erenice, na nota.


Em nota e em manifestações no Twitter de um de seus jornalistas, a revista Veja afirmou ter gravado as declarações do empresário Baracat e ter ainda em seu poder documentação, parte dela ainda não publicada.

Jornal Midiamax