Geral

Edil sai em defesa de Nelsinho e diz que Prefeitura não pode dar as costas ao governo federal

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, de Ciência e Tecnologia e do Agronegócio, vice-prefeito Edil Albuquerque, disse hoje que a Prefeitura Municipal de Campo Grande não pode dar as costas ao Governo Federal sob o risco de penalizar a população da capital, mas que isso não significa acordo político visando as eleições que se aproximam. […]

Arquivo Publicado em 25/01/2010, às 19h03

None

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, de Ciência e Tecnologia e do Agronegócio, vice-prefeito Edil Albuquerque, disse hoje que a Prefeitura Municipal de Campo Grande não pode dar as costas ao Governo Federal sob o risco de penalizar a população da capital, mas que isso não significa acordo político visando as eleições que se aproximam.

Edil comentou as declarações do presidente regional do PMDB, Esacheu Nascimento, para quem o prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) tenderia a apoiar à candidatura da ministra chefe da Casa Civil, Dilma Roussef (PT) à presidência da República: “Não há nada concreto neste sentido, até porque o PMDB sul-mato-grossense é um partido que tradicionalmente conversa antes de fechar parcerias políticas. Não conversamos sobre as alianças de 2010 ainda. Portanto, qualquer declaração como esta é prematura”, afirmou Edil.

O vice-prefeito deixou claro que o Governo Federal tem sido parceiro da Prefeitura de Campo Grande e do Governo do Estado e ressaltou que esta parceria não pode ser respondida no campo administrativo com posições que demonstrem desdém ou soberba. “Uma coisa é o relacionamento que o prefeito Nelson Trad Filho mantém com o Governo Federal, que tem trazido excelentes frutos para a cidade, outra coisa é a questão política, que será definida pelo partido no momento adequado”, ressaltou.

Jornal Midiamax