Geral

Deputado Zé Teixeira ‘chia’ com aliados durante discurso

O Comício da coligação “Amor, Trabalho e Fé”, encabeçada pelo governador e candidato André Puccinelli, em Costa Rica nesta sexta-feira (10) reuniu cerca de 600 pessoas de acordo com a Polícia Militar. Participaram o governador André Puccinelli e candidatos a deputado federal e estadual, só o candidato a senador Waldemir Moka estava presente. O clima […]

Arquivo Publicado em 11/09/2010, às 11h41

None

O Comício da coligação “Amor, Trabalho e Fé”, encabeçada pelo governador e candidato André Puccinelli, em Costa Rica nesta sexta-feira (10) reuniu cerca de 600 pessoas de acordo com a Polícia Militar. Participaram o governador André Puccinelli e candidatos a deputado federal e estadual, só o candidato a senador Waldemir Moka estava presente. O clima no palanque ficou desconfortável quando o deputado estadual Zé Teixeira, (DEM) ameaçou não discursar.

Irritado, Teixeira esbravejou em cima do palanque e disse que não discursaria ao ver candidatos pedindo voto para o senador Delcídio do Amaral (PT), ao invés de pedir voto para o candidato ao senado da coligação, Murilo Zauith, (DEM). Quando perceberam que Teixeira ameaçava estragar a festa, reuniram vários políticos em sua volta e o convenceram a discursar.

Nervoso e ainda engasgado, Teixeira disse ao Hora da Notícia, “os candidatos que pediram voto para Delcídio deveriam avaliar melhor suas posições políticas”.

A pérola da noite ficou por conta do deputado estadual Ary Rigo, PSDB que declarou seu voto no candidato a presidente José Serra, mas observou: “acho que o Serra já foi, mas eu vou votar nele”.

O governador não perdeu a oportunidade de alfinetar, disse que são cinco os candidatos ao senado, “um foi citado no livro de Dourados”. Ele se referia ao livro lançado hoje (10) pelo jornalista Eleandro Passaia, de Dourados intitulado: “A Máfia de Paletó”.

O prefeito de Costa Rica, Jesus Queiroz Baird, (PMDB) discurso e declarou seu voto para a candidata petista Dilma Rousseff.

Já o ex-prefeito, Waldeli dos Santos Rosa, (PMDB) não inovou no discurso e voltou a afirmar que o governo do PT ficou oito anos sem visitar o município, “o governo anterior nunca veio aqui, ficamos esquecidos oito anos”.

Jornal Midiamax