Geral

Câmara de Dourados inicia sessão sob vaias e gritos de “fora ladrão” e “renuncia”

Sob forte esquema de segurança começou há pouco a sessão ordinária da Câmara Municipal de Dourados, com a presença de nove dos doze vereadores. Mais de duzentas pessoas estão dentro do prédio da Câmara enquanto outro tanto está do lado de fora. Logo depois de aberta a sessão o público virou as costas para os […]

Arquivo Publicado em 13/09/2010, às 22h26

None

Sob forte esquema de segurança começou há pouco a sessão ordinária da Câmara Municipal de Dourados, com a presença de nove dos doze vereadores.


Mais de duzentas pessoas estão dentro do prédio da Câmara enquanto outro tanto está do lado de fora. Logo depois de aberta a sessão o público virou as costas para os vereadores, quando o hino de Dourados foi tocado.


Em frente ao prédio da Câmara os manifestantes montaram um tripé feito de Bambu numa alusão ao vereador preso pelas Operações Owari e Uragano Paulo Henrique Bambu, onde aparece na forca uma “pessoa” simbolizando o prefeito Artuzi e os demais políticos e empresários envolvidos no esquema de corrupção.


Mais de vinte policias militares estão dentro da Câmara para dar segurança aos vereadores enquanto que do lado de fora cerca de cinqüenta futuros PMs estão controlando os ânimos dos manifestantes. A Avenida Marcelino Pires foi fechada nos dois sentidos pela Polícia Militar.


Compareceram a sessão os vereadores Gino Ferreira (DEM) e Dirceu Longhi (PT) indiciados pela Polícia Federal pela Operação Uragano; Aurélio Bonato (PDT), José Carlos Cimatti (PSB) e Tio Julio Artuzi (PRB) que foram presos pela Operação Uragano; a vereadora Délia Razuk (PMDB) e os suplentes Cemar Arnal (PDT), Cido Medeiros (DEM) e Albino Mendes (PR).


Em nenhum momento os manifestantes param de gritar palavras de ordem. Os gritos que mais ecoam são de “fora ladrão” e “renuncia, renuncia”.

Jornal Midiamax