Geral

Atraso no atendimento em posto de saúde provoca confusão que envolve até equipe de TV

Guarda municipal tentou impedir equipe de TV registrar imagens do local; ele partiu para cima da reportagem, mas foi contido por pacientes que aguardavam atendimento médico

Arquivo Publicado em 28/10/2010, às 18h49

None

Guarda municipal tentou impedir equipe de TV registrar imagens do local; ele partiu para cima da reportagem, mas foi contido por pacientes que aguardavam atendimento médico

Uma confusão no posto de saúde do bairro Guanandi, em Campo Grande, quase termina em quebra-quebra. Tudo começou porque pacientes descontentes com a demora no atendimento foram pedir informação ao guarda municipal, identificado apenas como Miguel, se iam ser atendidos ou não. Ele teria respondido com rispidez e tentado agredir alguns pacientes.

Depois da atitude do guarda municipal, os moradores que aguardavam atendimento desde as 8h de hoje resolveram acionar a equipe de reportagem de uma televisão, do Programa Picarelli com Você, transmitido pela TV Record, por volta das 14h.

Quando o repórter Avelino Neto e o cinegrafista Dalmo Júnior chegaram para fazer do lado de fora as imagens da fachada da unidade, outra equipe, da TV Guanandi, produzia outra reportagem, do lado dentro do prédio do posto.

Ao ver a equipe trabalhando do lado de dentro, Marize Helmich, 42 anos, foi até a recepção e teria perguntado ao guarda municipal Miguel se a equipe não iria sair para também ouvir os que reclamavam da falta de atendimento.

Neste momento, segundo ela, o guarda que era separado por uma janela de vidro colocou uma das mãos pelo pequeno buraco que serve para comunicação e tentou agredi-la fisicamente. A mulher disse que ele foi contido por outro guarda municipal.

Posteriormente, segundo relato do repórter Avelino Neto, o guarda Miguel foi em direção à sua equipe, que permanecia do lado de fora na calçada, e disse que não podiam filmar a fachada da unidade de saúde.

Nisto o repórter disse que estava do lado de fora, portanto poderia, sim, executar seu trabalho. Com a resposta o guarda teria tentado agredi-lo fisicamente.

Ao perceber que estava sendo filmado, ele também tentou imobilizar o cinegrafista torcendo seu braço para tirar a câmera de sua mão, mas foi em vão.

Os moradores que aguardavam para receber atendimento interviram e a confusão foi de certa forma contida. A Polícia Militar foi acionada. Marize, Avelino Neto e Dalmo Júnior foram até a 5ª Delegacia de Polícia registrar boletim de ocorência.


Jornal Midiamax