Geral

Após julgamento, túmulo de Isabella recebe visitas em SP

Todas as vezes que a dona de casa Isaura Gimenes, 67 anos, visita o túmulo do marido, no Cemitério Parque dos Pinheiros, no bairro do Jaçanã, Zona Norte de São Paulo, ela aproveita para deixar uma flor no túmulo na menina Isabella Nardoni. Na manhã deste sábado (27), após a condenação de Alexandre Nardoni e […]

Arquivo Publicado em 27/03/2010, às 16h40

None

Todas as vezes que a dona de casa Isaura Gimenes, 67 anos, visita o túmulo do marido, no Cemitério Parque dos Pinheiros, no bairro do Jaçanã, Zona Norte de São Paulo, ela aproveita para deixar uma flor no túmulo na menina Isabella Nardoni. Na manhã deste sábado (27), após a condenação de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, considerados culpados pela morte da menina, Isaura repetiu o gesto e mais uma vez e se emocionou.


“Faço questão de vir. A gente que é mãe sabe o que é a dor de perder um filhos. Eles [o casal] têm que pagar pelo que fizeram. Não se faz isso com um animal, quanto mais com uma criança”, disse Isaura.


Na madrugada deste sábado, o Tribunal do Júri condenou Alexandre Nardoni, pai de Isabella, a 31anos, um mês e 10 dias. Anna Jatobá, a madrasta, cumprirá pena de 26 anos e 8 meses de prisão.


A filha de Isaura, a dona de casa Sônia Gimenes, 48 anos, também acompanhou a mãe na visita ao túmulo de Isabella. “”O julgamento foi perfeito. Mas foram só 31 anos para o pai dela. Deveria ser mais”, disse Sônia.


    Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jabotá continuarão presos em regime fechado em penitenciárias de Tremembé, no interior do estado de São Paulo. Eles terão de trabalhar durante o cumprimento da pena.

Jornal Midiamax