Geral

Bush propõe derrubada de árvores para combater incêndios

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, voltou a irar ambientalistas nesta quinta-feira, ao defender mudanças na política de controle de incêndios florestais: ele se disse favorável ao corte sistemático de arbustos e árvores de porte pequeno nas florestas públicas do país, sob o argumento de que essa vegetação favorece a dispersão do fogo […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, voltou a irar ambientalistas nesta quinta-feira, ao defender mudanças na política de controle de incêndios florestais: ele se disse favorável ao corte sistemático de arbustos e árvores de porte pequeno nas florestas públicas do país, sob o argumento de que essa vegetação favorece a dispersão do fogo e a ocorrência de grandes desastres.

“Custa dinheiro combater esses incêndios”, disse Bush, durante visita ao Oregon, um dos estados mais atingidas pelos intensos incêndios florestais deste ano.

As medidas de Bush vão afetar 77 milhões de hectares de florestas e bosques sob controle federal considerados sob alto risco de incêndio catastrófico. Este ano, o fogo consumiu 2,5 milhões de hectares em vários estados dos EUA. Somente no Oregon, foram 180 mil.

MENOS BUSH – Ambientalistas, que já esperavam o anúncio da nova política da Casa Branca, foram ao Oregon protestar. Com cartazes, pediram “mais florestas e menos Bush”. Eles interpretam o plano como uma forma de o governo ceder a pressões das madeireiras.

Parte das medidas precisa de aprovação do Congresso. Apesar do presidente falar apenas em arbustos e árvores consideradas de menor importância para os ecossistemas, congressistas disseram que a proposta de Bush vai abrir caminho para as madeireiras explorarem árvores maiores e mais nobres.

Jornal Midiamax