O Brasil perdeu um dos pioneiros do automobilismo do país. Wilson Fittipaldi Júnior morreu aos 80 anos, nesta sexta-feira (23), em São Paulo. Ele estava internado desde 25 de dezembro. Em 2019, o ex-piloto da recebeu, em nome da família, uma homenagem emocionante: a restauração do Copersucar Fittipaldi, único carro brasileiro que correu na maior categoria do automobilismo mundial.

O Estadão contou a história na época. O carro restaurado foi projeto do designer Adhemar Cabral e esteve exposto em uma galeria de arte na zona leste de São Paulo. O Copersucar Fittipaldi nasceu em 1976 e, então, passou pelas mãos dos pilotos Wilson Fittipaldi Jr. e seu irmão Emerson, bicampeão mundial de F-1, e ainda Ingo Hoffmann.

Wilsinho tinha 75 anos na época e ficou emocionado ao rever o carro da escuderia fundada por ele e pelo irmão. “A sensação de ver este carro novamente é a mesma de quando acompanhamos sua fabricação. Foi uma euforia. Nunca imaginei vê-lo outra vez nessas condições. Está impecável”, disse Wilsinho à reportagem.

A equipe brasileira disputou 104 GPs na F-1. Wilsinho, quando reviu o carro restaurado, pediu para ligá-lo a fim de ouvir o mesmo barulho que o acompanhava nas corridas. Assim, o artista Adhemar Cabral definiu a emoção em ver a reação de Wilsinho como “um troféu” para ele.

Adhemar Cabral e Wilsinho Fittipaldi na Copersucar restaurada (Arquivo pessoal, Reprodução)
Adhemar Cabral e Wilsinho Fittipaldi na Copersucar restaurada (Arquivo pessoal, Reprodução)

“É o único carro brasileiro de Fórmula 1. Estar aqui ao lado do Wilsinho, ter reconstruído o carro e ainda receber elogios… Nossa! Não tenho palavras. Esse é um dos trabalhos mais emocionantes que já fiz”, comemorou.

Como restauraram o Copersucar

O trabalho de restauração do carro contou com 15 profissionais, que atuaram na pintura, modelagem e adesivagem. Ao todo, foram seis meses mexendo no modelo. Então, Adhemar Cabral disse que o carro chegou “em condições precárias”. O chassi continuou o mesmo, mas o motor agora era um Ford 302, V8. Grandes nomes da F-1 como Lewis , Fernando Alonso, Felipe Massa e Rubens Barrichello têm miniaturas de carros feitos pelo artista da zona leste. Além disso, entre os seus projetos, está uma réplica da McLaren MP4-8, de Ayrton Senna.

Wilsinho havia sofrido uma parada cardíaca no almoço de Natal, dia em que também celebrava seu aniversário de 80 anos. Então, ele não conseguiu se recuperar e morreu nesta sexta-feira.

Dessa forma, a morte de Wilsinho acontece quase dois meses depois de quando ele foi internado. Em 25 de dezembro, segundo relatos de familiares, o ex-piloto se engasgou com um pedaço de e ficou muito tempo sem oxigenação. O irmão de Emerson Fittipaldi teve uma parada cardíaca e foi reanimado no pronto-socorro. Foram mais de dez dias sedado e entubado. Wilsinho era casado com Rita Reis Fittipaldi.