Esportes

Treta no Futebol: organizadores dizem que denúncia de racismo é para fugir de punição

Possível caso de racismo aconteceu no campo do bairro Taquaral Bosque, em Campo Grande, em partida da Liga Terrão MS, neste domingo

Nyelder Rodrigues Publicado em 18/11/2019, às 21h15 - Atualizado em 19/11/2019, às 08h03

Marcos Cândido é o quarto da esquerda para a direita entre os agachados. (Foto: Reprodução)
Marcos Cândido é o quarto da esquerda para a direita entre os agachados. (Foto: Reprodução) - Marcos Cândido é o quarto da esquerda para a direita entre os agachados. (Foto: Reprodução)

Diante da acusação de racismo em um jogo eliminatório da Liga Terrão MS, realizado pela UEFA (União Esportiva de Futebol Amador) em Campo Grande, a organização da competição se manifestou e afirma que a acusação é falsa e não houve racismo na partida vencida pelo time de Guia Lopes da Laguna, contra a equipe do Saraiva.

O atleta do Saraiva, Marcos Cândido, afirma ter sido xingado de macaco por um jogador adversário. Quando o time de Guia Lopes comemorava um gol no fim da partida, alguns integrantes do Saraiva invadiram o campo, dando início a uma confusão.

Um dos jogadores lagunenses acabou sendo derrubado e atingido por um chute na cabeça, segundo conta um dos organizadores, Julio Cesar Souza da Silva. O mesmo é relatado na súmula da partida pelo árbitro Walmir Fernandes da Silva.

“Ele ficou desmaiado e tivemos que levá-lo para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) para ser avaliado. Agora o jogador já foi para Guia Lopes, mas terá que voltar para Campo Grande por que vai precisar de uma tomografia”, conta Julio.

Ainda segundo Julio Cesar, a situação é passível de punição pela UEFA, o que pode ter motivado a denúncia de racismo, que conforme ele aponta, não aconteceu, apesar de estar registrado na súmula da partida pelo árbitro contratado pela própria liga.

“Já juntamos tudo que foi publicado nas redes sociais e entregamos para o advogado. Por ora, vamos registrar um boletim de ocorrência contra as pessoas que estão fazendo essa falsa acusação por calúnia e difamação”, explica o organizador.

Jornal Midiamax