Esportes

Nas semifinais, Brasil tem medalha garantida no vôlei de praia feminino

As duplas femininas do vôlei de praia do Brasil seguem com bons resultados no Circuito Mundial 2019. Em Ostrava, na República Tcheca, a rodada deste sábado (1º) do torneio quatro estrelas deixou duas equipes brasileiras perto de mais uma medalha. Ágatha/Duda (PR/SE) e Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) avançaram para as semifinais, garantindo pelo menos o bronze […]

Carlos Yukio Publicado em 01/06/2019, às 22h12

None
Duplas femininas brasileiras já tem medalha garantida no vôlei de praia

As duplas femininas do vôlei de praia do Brasil seguem com bons resultados no Circuito Mundial 2019. Em Ostrava, na República Tcheca, a rodada deste sábado (1º) do torneio quatro estrelas deixou duas equipes brasileiras perto de mais uma medalha. Ágatha/Duda (PR/SE) e Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) avançaram para as semifinais, garantindo pelo menos o bronze para o país.

O primeiro compromisso de Ana Patrícia e Rebecca neste sábado foi contra Hughes/Summer (EUA), com vitória para as brasileiras por 2 sets a 0 (21/17 e 21/18), pelas oitavas de final. Nas quartas, elas enfrentaram as compatriotas Bárbara Seixas e Fernanda Berti (RJ), com novo triunfo de Ana e Rebecca por 2 sets a 0 (21/14 e 21/10). Na semifinal o desafio será contra as holandesas Keizer e Meppelink, neste domingo (2).

Ágatha e Duda passaram das oitavas de final com vitória de virada sobre Clancy/Artacho Del Solar (AUS) (16/21, 26/24 e 15/10). Na fase seguinte as brasileiras enfrentaram as campeãs da etapa de Itapema (SC), Alix Klineman e April Ross (EUA) por 2 sets a 0 (21/18 e 21/18). Na briga por um lugar na grande decisão Ágatha e Duda enfrentarão a tricampeã olímpica Kerri Walsh-Jennings e a parceira Brooke Sweat, também dos Estados Unidos.

“Nós perdemos um jogo na fase de grupos, e isso nos deixou com um caminho mais longo até aqui. Mas este revés nos deixou mais ligadas em cada jogo, com mais foco, aprendendo com os nossos erros. Hoje usamos essas lições aprendidas ao longo da semana. Sabíamos que teríamos jogos difíceis pela frente, então precisamos ser fortes e persistentes. Agora precisamos de um pouco de descanso, e estudar bem as adversárias para voltarmos amanhã ainda mais fortes”, comentou Ágatha.

Jornal Midiamax