Esportes

Em noite de apagões, Atlético vence Zamora e vai para a ‘Série B da Libertadores’

GazetaEsportiva “A Copa Sul-Americana é a segunda divisão da Libertadores da América”. Com essa frase, o Presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, definiu a competição ao ser eliminado, na edição 2018. Nesta terça-feira, após muita luta e sofrimento, o Galo venceu o Zamora, por 2 a 1, em duelo disputado na Venezuela, pela última partida […]

Diego Alves Publicado em 07/05/2019, às 22h05 - Atualizado em 08/05/2019, às 09h19

Foto: Juan Barreto/AFP
Foto: Juan Barreto/AFP - Foto: Juan Barreto/AFP

GazetaEsportiva

“A Copa Sul-Americana é a segunda divisão da Libertadores da América”. Com essa frase, o Presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, definiu a competição ao ser eliminado, na edição 2018. Nesta terça-feira, após muita luta e sofrimento, o Galo venceu o Zamora, por 2 a 1, em duelo disputado na Venezuela, pela última partida da fase de grupos da Copa Libertadores. Por já estar eliminado no torneio, sem chances de avançar para a próxima fase, o triunfo mineiro em solo venezuelano tem como premiação justamente disputar a Série B do continente.

O resultado deixou o Galo com seis pontos do Grupo E, com duas vitórias e quatro derrotas. A equipe mineira superou o Zamora, que ficou na última colocação, com apenas três tentos. Cerro e Nacional se classificaram para a fase seguinte.

O duelo desta noite mostrou o Atlético com dois tempos diferentes. Na etapa inicial, foi melhor, segurou o jogo, conseguiu criar e marcou os dois tentos. Na segunda parte, sofreu um gol, passou aperto em campo, não conseguiu criar nada e, por pouco, não perdeu a classificação. O Galo deixou o gramado com três zagueiros e sem atacantes.

A equipe mineira agora se prepara para o duelo contra o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro, no Mineirão. No torneio nacional, o Galo está na liderança, o único grupo que sustenta 100% de aproveitamento.

Primeiro tempo

O Atlético entrou em campo com a equipe bastante alterada para o jogo contra o Zamora. O Galo está muito focado no Brasileirão, competição que ainda sustenta a primeira colocação, com 100% de aproveitamento, e a comissão técnica entendeu, com apoio da fisiologia, que alguns atletas precisavam de descanso. Com isso, Rodrigo Santana mudou a defesa, o meio e no ataque, colocando uma equipe alternativa.

O Atlético iniciou a partida com mais posse de bola, trocando mais passes e criando mais oportunidades. Demorou apenas quatro minutos para que o grupo brasileiro criasse a primeira oportunidade clara de marcar o primeiro tento. Alerrandro, na frente, na vaga de Ricardo Oliveira, movimentava bastante e dava mobilidade ao time preto e branco.

O Galo, todavia, tinha alguns problemas. A equipe distanciava nas linhas e não colocava velocidade na troca de passes. No meio campo o Atlético tinha um problema, com o meia Vinícius Goes vivendo noite apagada e pouco participativa.

Aos 24 o Galo conseguiu o primeiro gol. Em troca de passes – uma das poucas em alta velocidade – o Atlético precisou de nove toques na bola para sair da defesa para o ataque e para Fábio Santos cruzar na medida para Alerrandro mandar para o fundo das redes.

O Galo seguiu melhor em campo, com suas linhas bem montadas, dando poucas oportunidades para o Zamora invadir sua defesa. Não demorou até a equipe mineira conseguir ampliar.

Aos 35, com uma falha do goleiro adversário, a bola chegou em Patric. O ala cruzou e Alerrandro mostrou novamente oportunismo para colocar a bola no fundo das redes.

O momento de maior perigo que o Galo viveu foi aos 44. Em chute forte de Maza, de fora da área, Cleiton se esticou todo para defender.

Segundo tempo

O Zamora voltou superior em campo. O 4-1-4-1 do Atlético não estava mais funcionando e a equipe venezuelana encontrava espaços de flutuação entre as linhas. O grupo alvinegro aliviou na marcação e, com isso, facilitava nas chegadas.

Aos 12, Ramírez tenta o drible dentro da área e é derrubado na área por Igor Rabello. O árbitro marcou pênalti imediatamente. No minuto seguinte, na cobrança, Ignacio Gonzalez, com uma categoria impressionante, colocou no fundo das redes.

O Zamora partiu para o ataque. A equipe pressionava de todas as maneiras e o Galo se segurava. Vendo a situação crítica que sua equipe tinha em campo, Santana colocou o volante José Welison na vaga de Nathan. O Atlético deixou sua defesa mais forte, mas seu ataque terrível, com Maicon Bolt tendo atuação sofrível.

Minutos depois, foi à vez de Alerrandro deixar o gramado para a entrada de Luan. O Galo tentava se segurar em campo.

No finalzinho do jogo, o Estádio La Carolina ficou com a iluminação prejudicada, mas restando apenas três minutos o árbitro conseguiu finalizar o jogo com as equipes em campo.

FICHA TÉCNICA:

ZAMORA 1 X 2 ATLÉTICO

Local: Estádio La Carolina, Venezuela

Data: 07 de Maio de 2019 (Terça-feira)

Horário: 19h15 (horário de Brasília)

Árbitro: Carlos Hererra Bernal (COL)

Assistentes: Não divulgados

Gols: Alerrandro, aos 24 e 35 do primeiro tempo (Atlético); Ignácio Gonzalez, aos 13 do segundo tempo (Zamora)

Cartões: De la hoz, Mayker González (Zamora); Adilson, Nathan (Atlético)

ATLÉTICO – Cleiton, Patric, Rever, Igor Rabello, Fábio Santos, Jair, Adilson, Nathan (José Welison), Maicon Bolt, Vinícius e Alerrandro (Luan).

Técnico: Rodrigo Santana.

ZAMORA – Graterol, De La Hoz, Castro, Ignácio González, Mayker Gonzaléz (Mena), Oscar Hernandez, Gallardo, Pedro Ramírez, Maza, Romero, Paiva (Rojas)

Técnico: Navas.

Jornal Midiamax