Esportes

Em jogo com público recorde, Inter bate Nacional de novo e avança na Libertadores

Com uma atuação dominante na noite desta quinta-feira (31) no Beira-Rio, que recebeu mais de 48 mil torcedores e registrou o novo recorde de público em jogos do Inter realizados após a última grande reforma do estádio, o time gaúcho voltou a vencer o Nacional, do Uruguai, e se classificou com tranquilidade às quartas de […]

Agência Estado Publicado em 31/07/2019, às 21h55

(Foto: Divulgação/Internacional)
(Foto: Divulgação/Internacional) - (Foto: Divulgação/Internacional)

Com uma atuação dominante na noite desta quinta-feira (31) no Beira-Rio, que recebeu mais de 48 mil torcedores e registrou o novo recorde de público em jogos do Inter realizados após a última grande reforma do estádio, o time gaúcho voltou a vencer o Nacional, do Uruguai, e se classificou com tranquilidade às quartas de final da Copa Libertadores. Depois do triunfo por 1 a 0 obtido no duelo de ida, em Montevidéu, a equipe superou o adversário por 2 a 0 e avançou sem sustos no torneio continental

O resultado credenciou o time colorado a enfrentar na próxima fase da competição o ganhador do mata-mata entre Flamengo e Emelec, que também será conhecido na noite desta quarta. Após cair por 2 a 0 na primeira partida, no Equador, o clube carioca tenta reverter a vantagem do adversário no Maracanã, a partir das 21h30.

Mesmo com a vantagem de poder empatar para ir às quartas de final, o Internacional tratou de propor o jogo desde o início do duelo no Beira-Rio, onde sempre buscou o ataque, empolgado pelo apoio maciço dos seus torcedores.

Diante de um acuado Nacional, a equipe colorada começou a sufocar o adversário em seu campo e teve a primeira grande oportunidade de abrir o placar aos 9 minutos, quando Nico López foi acionado por Guerreiro pelo lado direito da grande área e finalizou para ser bloqueado por boa defesa do goleiro Mejía. E o mesmo atacante uruguaio desperdiçou outra grande chance no minuto seguinte ao tentar completar um cruzamento da direita pelo alto, mas pegar mal na bola e mandar por cima da meta.

Aos 16, porém, o Inter achou o caminho do primeiro gol por meio de uma bola parada. D’Alessandro cobrou escanteio com precisão pelo lado esquerdo, Rodrigo Moledo recebeu perto da primeira trave e cabeceou no canto direito baixo de Mejía para fazer 1 a 0.

O gol não acomodou o time colorado, que continuava criando jogadas ofensivas com frequência e só não ampliou o placar pela incompetência na hora de finalizar os lances. Em outra ótima oportunidade, aos 32 minutos, Patrick recebeu passe de Guerrero e, na cara do gol, tentou encobrir o goleiro, mas parou em defesa de Mejía.

Aos 33, Nico chegou a balançar as redes ao completar cruzamento de Patrick, mas estava em posição de impedimento, assinalado pela arbitragem. E o uruguaio depois receberia um lindo lançamento de Cuesta em cobrança de falta ainda do meio de campo e, na cara do gol, finalizou para nova boa intervenção de Mejía, aos 35.

E Nico voltaria a marcar um gol irregular nos acréscimos da etapa inicial, desta vez após assistência de Edenilson, mas estava impedido de novo, em irregularidade que só foi ratificada pelo juiz após auxílio ao árbitro de vídeo (VAR).

No segundo tempo, mesmo precisando virar o placar para seguir vivo na Libertadores, o Nacional pouco incomodou a defesa do Inter, que manteve a alta carga ofensiva e também repetiu a rotina de desperdiçar boas oportunidades de ampliar o placar.

O técnico Odair Hellmann ainda deu novo fôlego ao ataque com a entrada de Rafael Sobis no lugar de Nico López e depois se viu obrigado a queimar a sua segunda substituição ao ver Rodrigo Lindoso se lesionar e sair para a entrada de Nonato. Ovacionado pela torcida, o ídolo D’Alessandro também deixou o jogo no fim ao ser substituído por Wellington Silva.

E quando a vitória por 1 a 0 parecia certa como placar final do confronto, o Inter marcou o segundo gol nos acréscimos do tempo normal, aos 48 minutos. Em rápido contra-ataque, Sobis tocou na direita para Guerrero, que finalizou forte e cruzado para vencer Mejía. Decisivo neste mata-mata, o peruano já havia feito, também no finzinho do confronto de ida, o gol que definiu o triunfo por 1 a 0 em Montevidéu.

Invicto nesta Libertadores, o Internacional passou a contabilizar seis vitórias e dois empates na competição, na qual também já acumula 16 bolas na rede em oito partidas. Depois de cumprir a sua missão, o time gaúcho voltará a campo neste sábado, quando enfrentará o Fluminense, às 19 horas, no Maracanã, pela 13ª rodada do Brasileirão.

Jornal Midiamax