Esportes

Ex-treinador da seleção brasileira, Carlos Alberto Silva morre aos 77 anos

Causa da morte ainda não foi divulgada

Ana Paula Chuva Publicado em 20/01/2017, às 17h16

None
carlos_alberto.jpg

Causa da morte ainda não foi divulgada

Ao 77 anos, ex-treinador da seleção brasileira, Carlos Alberto Silva morreu na manhã desta sexta-feira (20). Carlos passou por uma cirurgia no coração no final de 2016 e ainda estava em fase de recuperação, segundo informações ele estava em casa, que fica em Belo Horionte, teria ido dormir e não acordou nesta manhã. A causa da morte ainda não foi divulgada.

O ex-treinador foi campeão brasileiro com o Guarani e medalhista de prata com a seleção brasileira. A morte foi confirmada por funcionários da Ibiza Turismo, empresa que ele era dono e também pelo clube de Campinas.

Segundo o site Uol o Guarani planeja uma homenagem para Carlos Alberto, mas ainda não deu detalhes. O clube se manifestou através de sua conta no Twitter: “Obrigado por tudo, mestre”, dizia a postagem.

A família está muito abalada com a notícia.

O velório

O velório de Carlos Alberto acontecerá a partir das 19 horas desta sexta-feira no Parque da Colina, em Belo Horizonte. O enterro está previsto para 11 horas de sábado (21), no mesmo local.

Trajetória

Natural de Belo Horizonte, Carlos Alberto se formou em educação física e ganhou notoriedade no mundo da bola logo em seu primeiro trabalho, quando conduziu o Guarani ao seu primeiro e único título brasileiro da história. A conquista aconteceu em 1978, quando os campineiros bateram o Palmeiras na grande decisão.

Depois de alcançar tal feito, chamou atenção de grandes clubes brasileiros e logo foi contratado pelo São Paulo, onde acumulou dois títulos em duas passagens. Na primeira experiência, entre 1980 e 1981, foi campeão paulista logo no primeiro ano. Depois, comandou o clube paulista entre 1989 e 1990, também levantando uma taça do campeonato estadual.

Além do São Paulo, acumulou passagens por Atlético-MG (onde foi campeão mineiro), Santa Cruz (campeão pernambucano), Sport, Cruzeiro, Corinthians, Palmeiras, Goiás, América-MG e Santos.

No exterior, Carlos Alberto Silva foi bicampeão português com o Porto, em 1992 e 1993, e também conquistou o campeonato japonês com o Yomiuri Kawasaki, em 1991.

Entre 1987 e 1988, ainda teve a oportunidade de comandar a seleção brasileira. À frente do time nacional, foi campeão dos Jogos Pan-Americanos de 1987 e conquistou a medalha de prata um ano depois na Olimpíada de Seul, sendo derrotado por 2 a 1 na prorrogação da decisão contra a União Soviética.

Também ídolo do Guarani, Amoroso chegou a usar sua página no Twitter para se despedir de Carlos Alberto. O mesmo foi feito por Atlético-MG e Corinthians.

Jornal Midiamax