Servidor brasileiro estão prestes a funcionar e site mapeou áreas de interação em CG

 

Pokémon Go é febre antes mesmo de ser lançado. E desde que foi disponibilizado na Austrália, no começo do mês, cada dia é uma nova expectativa de que o jogo funcione para os lados de cá. O frisson se explica porque a Niantic, empresa que criou o jogo em parceria com a The Pokémon Company (braço da Nintendo dedicado a desenvolver games da franquia Pokémon), até agora não anunciou nenhuma data oficial. Tudo o que se sabe quando o jogo se torna funcional em algum país é a publicação no perfil oficial do jogo no Twitter. Por isso, tantas especulações e tantas informações desencontradas.

Pokémon Go tem possível data de estreia e ginásios de Campo Grande já estão no mapaA novidade mais recente é uma publicação em um site ‘extraoficial’ que traz o status dos servidores do jogo. No MMO Server Status, um aviso colocado na tarde da segunda-feira (25) indicava que possivelmente o servidor brasileiro seria habilitado no próximo domingo (31). Argentina e Chile também podem ganhar Pokémon Go na mesma data.

Mesmo assim, conforme aponta o recém criado site ‘Mapa Pokémon Go‘, os gamers brasileiros já podem conferir os locais onde funcionarão Ginásios (ou arenas) e pokéstops, locais pelos quais é preciso transitar para fortalecer os monstrinhos e conseguir itens gratuitos, como pokébolas (que servem para capturar os monstros), incensos (que atraem pokémons sem que seja necessário deslocamento) e ovos (que eclodem numa incubadora após o jogador percorrer a pé ou de bicicleta uma determinada distância, que varia entre 5 km e 10 km).

Cidade mapeada

(Reprodução/MapaPokémon)

 

Campo Grande já entrou na lista de cidades e de acordo com o mapa, apesar de não ser possível, ainda, distinguir o que será ginásio ou pokéstop, já dá para saber que rumos o treinador precisará seguir para conseguir os itens gratuitos ou disputar batalhas com outros jogadores (não conseguimos visualizar os pontos pelo computador, somente pelo celular). Normalmente, os locais escolhidos são igrejas, prédios públicos e, em sua maioria, monumentos de arte, como bustos, grafites, placas e afins, isso porque Pokémon Go usa como base o jogo Ingress, também da Niantic, outro game de realidade aumentada que usa pontos turísticos das cidades.

No bairro Jardim Monte Líbano, por exemplo, a igreja Nossa Senhora de Fátima é um ginásio, conforme o Jornal Midiamax constatou no dia em que o app foi lançado. Bem perto dali, na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, na esquina com a Rua Sebastião Lima, é um pokéstop, assim como um grafite que fica na esquina com a Rua da Liberdade com a Avenida Calógeras, na Vila Glória. A reportagem não contou, mas são centenas de locais onde o jogador pode interagir. Somente na Praça Ari Coelho são sete paradas.

 

(Reprodução/MapaPokémon)

 

Enquanto isso, a comunidade ‘Pokémon GO Campo Grande – MS‘, que já foi assunto em uma reportagem, não consegue segurar a ansiedade. Além das ‘Caçadas Pokémon’ já citadas na matéria, os membros também querem criar um grupo no WhatsApp. “Vou estar organizando o grupo em breve pessoal. Chamem seus amigos, só adicionar eles pelo sistema de convidar do grupo que estaremos aceitando. Bora juntar uma galera legal para o lançamento do game”, convocou o estudante Lucas Ayrton Marchi Soares, 21 anos.

Lucas, a propósito, criou um canal no Youtube com dicas de como jogar Pokémon Go, tais como baixar um emulador de Android no computador e simular a localização em países onde o jogo funciona, como os Estados Unidos. Ah, e tem também quem já aproveita para faturar, como Henrique de Souza, do box Terror Rock Shop, na Feira Central, que além de camisetas com so três times existentes no app, também já vende canecas temáticas a R$ 35, cada. Quem vai querer captutar?