Esportes

Estado Islâmico proíbe camisas de futebol em áreas dominadas pelo grupo

Quem for pego utilizando será punido com 80 chibatadas

Norberto Liberator Publicado em 22/09/2016, às 13h14

None
ei_times.jpg

Quem for pego utilizando será punido com 80 chibatadas

Extremistas do grupo autointitulado Estado Islâmico proibiram cidadãos de áreas dominadas pela organização de utilizar camisas de clubes ou seleções de futebol, de acordo com o Memri, grupo que monitora ações de terroristas no Oriente Médio. Quem for visto utilizando uniformes do esporte será punido com 80 chibatadas em público.

O jornal inglês The Mirror afirma que a lei imposta pelo EI na província de Al-Furat, no Iraque, determina afixação de cartazes em muros, avisando sobre a proibição. Neles, aparecem sinais de 'proibido' sobre ilustrações dos uniformes e escudos de clubes como Barcelona, Real Madrid e Milan, além de bandeiras da Inglaterra, Alemanha e Estados Unidos.

Em outro cartaz, aparece o mesmo sinal sobre os logotipos das marcas Nike e Adidas, fornecedoras de material esportivo de grande parte dos maiores clubes do mundo.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o grupo já havia declarado anteriormente que puniria árbitros de futebol, por “seguirem a lei da Fifa em vez da Sharia (lei islâmica)”.

As regras da entidade máxima do futebol são condenadas pelos jihadistas como “uma violação dos comandos de Allah e da Suna” (o livro de ensinamentos do profeta Maomé, base da ideologia sunita). O EI considera o futebol uma atividade “anti-islâmica”.

Jornal Midiamax