Esportes

Boxeador marroquino é preso por suspeita de estupro na Vila Olímpica

É a segunda ocorrência de casos do tipo no local

Norberto Liberator Publicado em 05/08/2016, às 11h49

None
saada.jpg

É a segunda ocorrência de casos do tipo no local

O pugilista marroquino Hassan Saada, 22 anos, foi detido pela polícia do Rio nesta sexta-feira (5), por suspeita de estuprar duas camareiras da Vila Olímpica. De acordo com o jornal Extra, ele recebeu mandado de prisão preventiva por 15 dias, pelo Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos.

Saada teria cometido o crime na última quarta-feira (3). Ele foi preso enquanto estava na Vila e deve ser transferido para a Polinter (Polícia Interestadual) ainda na sexta. Ele estrearia no sábado (6), contra o turco Mehmet NadirIdade Unal, de 3 anos.

O jornal O Globo informa que, segundo a polícia, o atleta perguntou a uma camareira se ela tinha perfil em redes sociais e, em seguida, a encostou em uma parede, pressionou seu corpo com as coxas e tentou forçá-la a lhe dar um beijo.

Depois, ele teria apertado o peito de outra funcionária e feito gestos pedindo para que ela o masturbasse em troca de um pagamento. Ele foi indiciado no artigo 213 do código penal, que estabelece pena de até 30 anos para quem “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”.

Não é o primeiro caso

A prisão de Saada é a segunda a ocorrer dentro da Vila dos Atletas. O Extra afirma que, no dia 31 de julho, o segurança Genival Ferreira Mendes, que prestava serviços pela empresa Gocil, foi detido em flagrante pelo mesmo crime, no Velódromo do Parque Olímpico.

Mendes teria, segundo o delegado titular da 16ª DP (Delegacia de Polícia) do Rio, “aproveitado” o descanso de uma bombeira civil para passar a mão em seu corpo, por baixo do uniforme, enquanto ela dormia, o que caracteriza estupro pela legislação brasileira.

Jornal Midiamax