Esportes

Torcedor do Palmeiras agredido após jogo do Paulistão tem morte cerebral

Informação foi confirmada no início da tarde desta quarta-feira

Clayton Neves Publicado em 29/04/2015, às 16h56

None
torcidapalmeiras.jpg

Informação foi confirmada no início da tarde desta quarta-feira

O torcedor do Palmeiras que estava internado em estado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santa Marcelina, na Zona Leste de São Paulo, teve morte cerebral confirmada no início da tarde desta quarta-feira (29). A informação é da Secretaria Estadual da Saúde.

Cláudio Fernando de Morais foi agredido com barras de ferro durante uma briga em frente a uma estação da CPTM na noite de domingo (26). O caso ocorreu após o primeiro jogo da final do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Santos.

Segundo relato da namorada da vítima à diretoria da torcida organizada Mancha Alviverde, os agressores usavam camisetas do time santista.

Confusão após jogo
De acordo com a CPTM, funcionários da Estação Jardim Romano, na Linha 12-Safira, identificaram uma confusão entre torcedores na passarela que fica na área externa da estação por volta das 20h de domingo. A Polícia Militar e o Samu foram acionados, mas um segurança da CPTM levou o torcedor ferido para o hospital.

A Secretaria da Segurança Pública informou que o caso está sendo investigado pela 5ª Delegacia de Repressão e Análise aos Delitos de Intolerância Esportiva, da Divisão de Proteção à Pessoa do DHPP. “A namorada e familiares foram ouvidos na tarde de terça-feira e equipes permanecem nas ruas para esclarecer o crime”, diz a nota.

Segundo a namorada de Cláudio, que estava com ele no local, o ataque foi feito por integrantes da Torcida Jovem, maior organizada do Santos. 

– Nós estávamos vindo do jogo. Como eu moro na Zona Leste, estávamos, eu e o amigo dele. Eu ia buscar minha filha na casa do pai dela. Ele falou que eu não iria sozinha, que ele ia me levar. Eu falei que não precisava descer na estação, já que ele me trouxe até o (Jardim) Romano. Ele teimou, brigou comigo que ia descer para eu não andar sozinha. 

– O amigo dele estava de Mancha (Alviverde), e um cara veio e grudou nele. Nisso, ele (o amigo de Cláudio) foi e bateu no cara. Ele (Cláudio) foi para cima. Quando eu olhei, tinha uns caras da Jovem atrás dele com barra de ferro. O segurança da estação falou que tinha 15 caras atrás de mim. Eu estava com a bandeira e a blusa. Um pessoal da estação socorreu ele (Cláudio) – falou ela, na gravação.

Jornal Midiamax