Esportes

Sheik ganha beijo de rival que mordeu e ouve: elimine o SPFC

O Sheik ainda recebeu um abraço de Caruzzo quando tentou cavar um pênalti no segundo tempo da partida

Gerciane Alves Publicado em 17/04/2015, às 13h00

None
jogadores.jpg

O Sheik ainda recebeu um abraço de Caruzzo quando tentou cavar um pênalti no segundo tempo da partida

ez de uma mordida, Emerson ganhou um beijo no rosto de Matías Caruzzo, com quem se desentendeu na final da Copa Libertadores da América de 2012. O reencontro amigável entre o atacante brasileiro e o zagueiro argentino, hoje no San Lorenzo, ocorreu na noite desta quinta-feira, em Itaquera .

“Depois dos hinos, quando os jogadores se cumprimentam, ele me deu um beijo no rosto, de respeito. Ali, já entendi que ele vinha de uma maneira diferente”, contou Emerson, sorridente, em conversa com a Fox Sports. O Sheik ainda recebeu um abraço de Caruzzo quando tentou cavar um pênalti no segundo tempo da partida. Os dois se envolveram em polêmica no Corinthians x Boca Juniors decisivo da Libertadores de 2012. Na ocasião, o brasileiro mordeu a mão do argentino após desentendimento.

Após o confronto desta quinta-feira, contudo, a relação entre os antigos desafetos já estava tão próxima que o argentino aproveitou para fazer um pedido a Emerson. Ele conta com uma boa atuação do atacante para que o Corinthians vença o São Paulo na última rodada do grupo 2 e colabore com uma classificação do San Lorenzo.

“Então… Quando o jogo terminou, na descida do túnel, ele já estava indo tomar o banho dele e me surpreendeu. Foi muito querido. Deu um abraço, falou parabéns e lembrou que tudo o que aconteceu em 2012 já passou. Ainda disse que tem uma grande admiração por mim. Eu, por ele. E pediu para a gente não perder para o São Paulo”, gargalhou o Sheik.

Com a primeira colocação do grupo 2 da Libertadores assegurada, somando 13 pontos, o Corinthians enfrentará o São Paulo, que tem 9, na próxima quarta-feira, no Morumbi. Na mesma noite, o San Lorenzo, com 7, receberá o lanterna Danubio no Nuevo Gasómetro.

Antes de voltar a se preocupar com a Libertadores, o Corinthians terá outro clássico pela frente. Enfrentará o Palmeiras em Itaquera no domingo, pelas semifinais do Campeonato Paulista , sem o suspenso Emerson Sheik.

“Engraçado. No clube, a gente tem todas as informações. Vi que eu tinha dois cartões amarelos, mas nem tentei cavar aquele pênalti contra a Ponte Preta . Cheguei muito cansado no lance e me joguei. Foi uma certa displicência. Mas é ruim ficar fora de uma decisão. Gosto muito de decisão”, concluiu Emerson, que comprovou o seu gosto justamente diante de Caruzzo, então no Boca Juniors, com os gols da conquista da Libertadores de 2012.

Jornal Midiamax