Esportes

Palmeiras emplaca contra Ponte 3ª vitória seguida e mira G-4

A Ponte Preta aceitou vender o mando de campo

Diego Alves Publicado em 05/07/2015, às 22h48

None
arquibancadapalmeiraspontechicoferreirafp.jpg

A Ponte Preta aceitou vender o mando de campo

A Ponte Preta aceitou vender o mando de campo e recebeu o Palmeiras em Cuiabá, dando ao rival a chance de festejar em um palco diferente. Desta forma, a torcida alviverde tomou a Arena Pantanal e viu de perto Dudu encerrar com sobras um jejum de mais de três meses sem marcar gols, balançando as redes duas vezes na vitória por 2 a 0.

Foi o terceiro triunfo consecutivo, mantendo a escalada dos comandados de Marcelo Oliveira. O time termina a 11ª rodada em sétimo lugar, agora com 18 pontos, a três da zona de classificação para a Copa Libertadores da América e a cinco do líder Atlético-MG . Posição possível graças à eficiência que o treinador sempre cobrou e tem conseguido impor na equipe.

O Palmeiras soube definir a partida ainda no primeiro tempo, graças, também, a Rafael Marques. O atacante deu assistências precisas para Dudu marcar de cabeça, aos 8min, e com o pé, aos 39. Bastou manter a marcação ajustada na etapa final para garantir a festa e os três pontos fundamentais.

O time alviverde volta a campo agora às 21h (de Brasília) de quarta, diante do Avaí , no Allianz Parque. Já a Ponte Preta, estacionada nos 16 pontos, em décimo lugar, tenta encerrar a sequência de duas derrotas diante do Coritiba , às 19h30 de quarta, no Paraná.

Dudu comanda Palmeiras

Sem novos desfalques, Marcelo Oliveira usou a mesma escalação pela terceira vez, e não mudou sua postura para buscar a terceira vitória consecutiva. No gramado fofo da Arena Pantanal, o objetivo não era nem ficar com a bola, mas fechar espaços, marcar adiantado e ter eficiência para contra-atacar e finalizar.

A recente sequência de vitórias, porém, parece ter dado certa comodidade ao time, que entrou em campo desligado. A Ponte Preta tinha três marcadores no meio-campo e três atacantes, prontos a serem lançados. Assim, logo aos dois minutos, Felipe Azevedo perdeu chance na pequena área de Fernando Prass e Cesinha vencia todas pela esquerda.

Até que a teoria de Marcelo Oliveira se aplicou à risca. Aos oito minutos, na primeira aparição no campo de ataque, o Verdão ficou trocando passes dentro da área da Macaca até que Rafael Marques cruzou com precisão na pequena área para Dudu cabecear deslocando o goleiro Marcelo Lomba, abrindo o placar e a festa verde em Cuiabá.

Em vantagem, o Verdão optou por descansar alguns minutos até que Marcelo Oliveira obrigou a equipe a deixar de dar seu campo para a Ponte Preta. Marcando no ataque, o time controlou o adversário, que sofria com seus volantes presos e a ausência do meia Renato Cajá, suspenso, sempre responsável pela armação da equipe.

Se a Macaca buscava soluções, o Palmeiras sabia o caminho do gol. Aos 39 minutos, Leandro Pereira dominou lançamento, venceu a marcação e rolou para Rafael Marques, que voltou a ser garçom, tocando rasteiro para Dudu bater de primeira, na saída de Marcelo Lomba, para fazer 2 a 0.

Na volta do intervalo, Marcelo Oliveira só mexeu por questão física e trocou Robinho por Zé Roberto, alternativa que controlava mais a bola. A Macaca, por sua vez, liberou seus volantes para se aproximar do trio de atacantes, mas a compactação defensiva palmeirense segurava o adversário.

A torcida ainda pôde ‘comemorar um gol’ com a entrada do xodó Cristaldo, pedido desde o início do segundo tempo. Uma festa diferente para a torcida que pouco pode ver o Palmeiras. Em campo, o primeiro tempo já tinha resolvido o resultado. O Verdão até afrouxou a marcação e deu a Paulinho a chance de perder uma chance incrível, na pequena área, com Fernando Prass fora do gol. Nada mesmo estragaria a alegria alviverde nesta noite.

Jornal Midiamax