Esportes

Operário vence Itaporã, assume liderança e fica perto do acesso para Série A

A vaga do Operário pode até sair já neste domingo

Diego Alves Publicado em 01/11/2015, às 23h48

None
563545e4e1e708ff9d3f6f293bb2f0c2beca254a3f6de.jpg

A vaga do Operário pode até sair já neste domingo

Se a torcida do Operário sonha com a volta à primeira divisão desde 2011 e ano após ano se decepciona com o insucesso, desta vez a vaga está cada vez mais real. Neste sábado, no Estádio Chavinha, o Galo disputou com o Itaporã a liderança do quadrangular final da Série B do Campeonato Estadual e, com um gol de Jackson ainda no primeiro tempo, venceu por 1 a 0 e depende de um bom resultado contra o Maracaju para garantir o acesso.

A vaga do Operário pode até sair já neste domingo. No Estádio Loucão, às 16h, o Maracaju recebe o Aquidauanense e, se vencer, segura o Azulão com três pontos e facilita a vida operariana. Em caso de empate, o retorno estará virtualmente garantido, dependendo apenas de detalhes matemáticos para ser confirmado. Vencendo, o Aquidauanense entra na briga direta pelo acesso.

Jogo

Empurrado pelos 618 torcedores que foram ao Chavinha, o Itaporã começou a partida pressionando e o primeiro ataque resultou em três escanteios seguidos. Aos cinco minutos, Calado tabelou com Jô pela esquerda e o cruzamento chegou até Renato que pegou de primeira da entrada da área, mas a bola foi para fora. Depois disso o Operário conseguiu segurar o ímpeto inicial do time da casa e deixou de apenas se defender para também criar no ataque. A primeira jogada de perigo do Galo foi aos 17 minutos em cobrança de falta de Jackson que levou perigo ao gol de Fernando Hilário, mas a bola foi para fora.

O equilíbrio passou a prevalecer no jogo e os lances de perigo passaram a ser apenas em bolas de bola parada. Pelo lado do Itaporã com Calado, que não teve a precisão do jogo anterior e jogava a bola sempre em cima do goleiro Filipe. No Operário, Jackson era o dono da bola e aos 38 cobrou escanteio para o zagueiro João Marcos desviar, mas para fora. No minuto seguinte saiu o gol que pode devolver o Galo para a primeira divisão. Dudu Lima lançou Jackson por trás da zaga adversária, o meia ganhou na dividida com Bruno, tocou por cima de Fernando Hilário e Jô ainda tentou o evitar o gol, mas a bola morreu nos fundos da rede.

Na volta do intervalo, Nei César perdeu o meia Ciel, machucado e, logo depois, o meia Calado. Com duas mudanças forçadas, o Itaporã perdeu força e pouco ameaçou o goleiro Filipe no segundo tempo. Aos cinco minutos, Tutinha recebeu na direita, se livrou da marcação e bateu em cima do goleiro, que defendeu com segurança. Aos 25 o Galo teve chance de aumentar o placar em um contra-ataque, mas Dudu Lima não aproveitou o lance. Pouco depois, Jackson cobrou escanteio e o mesmo Dudu foi mais rápido que a marcação e desviou de cabeça assustando Fernando Hilário.

A resposta do Itaporã veio mais uma vez em jogada de bola parada. Em escanteio pela esquerda, a bola chegou em Jô que cruzou para Gustavo Henrique cabecear firme, para defesa precisa de Filipe. Para melhorar a marcação no meio, Chiquinho Lima trocou Jackson por Wesley Mutuca e o volante, afoito, entrou em campo antes que o meia deixasse o gramado e foi advertido por isso. O equivoco do jogador acabou pesando poucos minutos depois ao fazer falta dura em Jô, o que lhe rendeu a segunda advertência e consequente expulsão. Com dez jogadores, o Operário teve competência para segurar a pressão adversária e conquistar os pontos que podem levar o time de volta para a Série A cinco anos após a queda. Antes do fim, Leandrinho, do Itaporã, também foi expulso.

A penúltima rodada acontece no fim de semana e o derrotado Itaporã precisa da reabilitação contra o Itaporã no Estádio Noroeste, sábado (7), às 16h. No dia seguinte, o Operário joga a sua volta para a Série A contra o Maracaju no Estádio Ninho da Águia. O jogo, inicialmente marcado para às 17h, pode ser antecipado para às 10h.

Jornal Midiamax