Na máquina do tempo alviverde, só Felipão não escapa de vaia

Felipão se apressou em deixar o estádio após a partida
| 30/03/2015
- 17:48
Na máquina do tempo alviverde, só Felipão não escapa de vaia

Felipão se apressou em deixar o estádio após a partida

A festa da noite deste sábado no Allianz Parque foi programada para um único dono: Alex. O craque aposentado no fim de 2014 foi homenageado pelo com uma partida que reuniu craques do passado do time alviverde e ex-atletas renomados do futebol . O nível dos convidados, no entanto, fez com que a despedida do ídolo servisse como uma espécie de máquina do tempo para o torcedor palmeirense. Ademir da Guia, Marcos, Evair e Edmundo – além do próprio Alex – foram bastante ovacionados e também se tornaram protagonistas. Felipão enfrentou vaias.

O time formado pelos jogadores do Palmeiras de 1999 venceu o dos amigos de Alex. Coube ao ex-meia ditar o ritmo com passes, dribles e dois gols. Evair, Edmundo, Ademir da Guia, Aristizábal e Tuncay (2) também chegaram às redes. “São jogadores com histórias fantásticas. Tê-los hoje dentro de campo dividindo o espaço foi encantador para mim”, resumiu o anfitrião em tom de humildade.

Edmundo também foi destaque do evento. O ex-atacante entrou no segundo tempo e brilhou ao lado de Evair. A dupla reviveu a parceria ofensiva vitoriosa no Palmeiras 1993-94 e Vasco 1997 com dribles, tabelas e gols, e deu nova cara ao amistoso. A atuação empolgou e emocionou o Animal.

“O torcedor tem um carinho especial por mim, pelo Evair e pelo Marcos, que é especial pela trajetória e conquistas. Se eu pudesse voltar atrás teria jogado apenas no Vasco ou só pelo Palmeiras. Seria mais feliz”, disse Edmundo, depois de ser mais um a reverenciar o talento de Alex.

O desempenho do veterano Ademir da Guia, líder da Academia do Palmeiras na década de 1970, foi outro ponto alto da noite. O lendário meia chegou a desarmar Djalminha em um lance e marcou um gol em pênalti cobrado com muita categoria. Já Marcos, como de costume, foi reverenciado. Desta vez jogou pouco tempo, não fez milagres e levou dois belos gols do turco Tuncay.

 

Felipão é vaiado

O ponto curioso do evento foi a implicância das arquibancadas com Luiz Felipe Scolari. Apesar de ter vencido – entre outras conquistas – a Copa Libertadores pelo Palmeiras, o treinador foi vaiado antes e durante a partida, também com gritos contra o desempenho do comandante na Seleção Brasileira durante a Copa 2014.

Prova de que se sentiu pouco à vontade na antiga casa é que Felipão se apressou em deixar o estádio após a partida. Com semblante fechado e passos ligeiros, ignorou a imprensa e foi o primeiro a sair dos vestiários rumo ao carro. Vale lembrar que ele teve uma volta tumultuada ao clube há três anos, apesar de conquistar uma Copa do Brasil em 2012.

Veja também

Pâmela Rosa fica na 2ª posição, com japonesa Momiji Nishiya sendo 3ª

Últimas notícias