Esportes

Flu se revolta com arbitragem ‘ridícula’ no Allianz Parque

O Palmeiras partiu para cima em busca da virada

Diego Alves Publicado em 15/06/2015, às 01h03

None
arbitroexpulsaflufriedemann-vogelgetty.jpg

O Palmeiras partiu para cima em busca da virada

Fluminense começou bem o jogo no Allianz Parque, na tarde deste domingo , diante do Palmeiras , abriu o placar e sofreu o empate nos acréscimos do primeiro tempo num lance de bola parada. Após o intervalo, o time tricolor ia segurando o resultado até que teve o atacante Magno Alves expulso e ficou com um a menos em campo. O Palmeiras partiu para cima em busca da virada, e, num lance polêmico assinalado pelo árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva, o zagueiro Gum foi expulso. Na sequência, aos 46min, Cristaldo marcou o gol da virada.

Na saída de campo, já era visível a irritação dos jogadores do Flu com a arbitragem. Poucos foram os que se dispuseram a falar com a imprensa e, quando o fizeram, o discurso era o mesmo. “O time brigou, lutou, foi no seu máximo, mas a arbitragem foi ridícula. Fui falar com ele que a barreira precisava se posicionar, e ele me deu o cartão,” desabafou o volante Jean.

Já na coletiva dos treinadores, o técnico Enderson Moreira ressaltou a impossibilidade de comunicação com o árbitro. “Nós da comissão técnica, nem os atletas podemos falar nada, nem conversar com o árbitro. Não houve bolinho de jogadores tentando reclamar, nada, houve indagações pertinentes sobre marcações equivocadas. Fomos prejudicados,” disse o técnico, que aproveitou para comentar sobre os lances polêmicos.

“Acho que o lance do Gum foi totalmente involuntário, ele não está nem vendo a bola. No lance do Magno, tenho de ver novamente. A princípio, parece que a expulsão foi justa. Preciso ver novamente o lance. Ali, aparentemente, talvez coubesse o cartão vermelho. Nas outras situações, tenho certeza de que o árbitro não marcou corretamente,” sentenciou.

Apesar da derrota, Enderson se disse satisfeito com o rendimento da equipe. “O primeiro tempo foi como a gente imaginava, bloqueamos as ações deles, mas, no finalzinho do primeiro tempo, o gol deles deu força ao Palmeiras . Voltaram para o segundo tempo com outra postura, de buscar a virada. Estávamos controlando, esperando uma oportunidade, mas aí veio a expulsão do Magno”, decretou.

Jornal Midiamax