Esportes

Dirigente da Comissão de Nevada reconhece erro em teste antidoping de Jon Jones

Diretor admite equívoco em aplicação de exame para 'drogas de uso recreativo'.

Clayton Neves Publicado em 09/01/2015, às 19h00

None
20150109001855971824i.jpg

Diretor admite equívoco em aplicação de exame para ‘drogas de uso recreativo’.

Um novo capítulo envolvendo o doping de Jon Jones foi revelado ao público. O diretor da Comissão Atlética de Nevada, Bob Bennett, reconheceu que a entidade errou ao aplicar o teste no campeão dos meio-pesados do UFC para ‘drogas de uso recreativo’ fora do período de competição. O dono do cinturão foi flagrado com metabólitos de cocaína em exame realizado em 4 de dezembro, portanto bem antes da luta contra Daniel Cormier, na edição número 182, no último dia 3. 

A polêmica surgiu pelo fato de que, por entendimento da Agência Mundial Antidoping (Wada), as ‘drogas de uso recreativo’ são proibidas apenas durante período de competição, 72 horas antes da luta. Com isso, o dirigente da Comissão de Nevada assumiu publicamente o equívoco no teste.

“Isso foi um equívoco que será conversado no dia 12 de janeiro. Esse não foi um relatório pedido pela comissão, então parece que houve um erro administrativo”, revelou o dirigente, em entrevista ao site MMA Fighting. Ele disse que a reunião na próxima semana avaliará o assunto e a aplicação de testes antes do período de competição.

Bob Bennett adiantou que Jon Jones não pode ser punido, já que a substância flagrada no teste ocorrido em 4 de dezembro não está incluída na lista de produtos considerados para melhorar o rendimento. Além do fato de que as ‘drogas de abuso’, ou de uso recreativo, são proibidas somente no período de competição.

Jon Jones defendeu o cinturão dos meio-pesados pela oitava vez com vitória sobre Daniel Cormier, por decisão unânime, na luta principal do UFC 182, no MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas. Depois da revelação do uso de cocaína, Bones se desculpou com fãs e família e se internou em uma clínica de reabilitação. Apesar de o lutador ter quebrado o código de conduta do UFC, que proíbe o consumo de drogas, ele não deve sofrer sanções da organização.

Jornal Midiamax