Esportes

Copa 2022 em dezembro pode ter final 2 dias antes do Natal

O torneio também deve ser mais curto que os 32 dias comumente usados

Clayton Neves Publicado em 24/02/2015, às 16h20

None
josephblattercatargetty.jpg

O torneio também deve ser mais curto que os 32 dias comumente usados

Uma força-tarefa da Fifa reunida nesta terça-feira (24) recomendou jogar a Copa do Mundo de 2022 em novembro e dezembro, para evitar o calor do verão do Catar. A entidade afirmou que escolheu o “período mais viável” entre propostas para jogar em janeiro, abril ou maio, datas que favorecem mais o futebol europeu. O torneio também deve ser mais curto que os 32 dias comumente usados.

O detalhe é que a final pode acontecer até em 23 de dezembro, apenas dois dias antes do Natal. Um dos vice-presidente da Fifa, o norte-irlandês Jim Boyce, já se manifestou contrário á ideia, dizendo que é perto demais das festas de fim de ano. Para ele, o ideal seria fazer a final uma semana antes do Natal, no mínimo.

O plano para a Copa de 2022 precisa ser aprovado pelo Comitê Executivo da Fifa, comandado pelo presidente Joseph Blatter, na convenção de 19 e 20 de março, em Zurique (Suíça). Blatter, que também é membro do Comitê Olímpico Internacional, defende há tempos a realização da Copa em novembro e dezembro, para evitar conflito com as datas da Olimpíada de Inverno em fevereiro.

Segundo a Fifa, fazer o Mundial no início do ano foi descartado justamente por esse motivo; em abril, o problema seria o mês do Ramadã, em que muçulmanos praticam jejum durante parte do dia; e de maio até setembro, o calor atinge seu auge no Catar. Por isso, apenas a janela de novembro e dezembro teria sobrado.

Os principais opositores da realização da Copa no fim do ano são os clubes europeus, já que o torneio paralisaria os campeonatos no meio da temporada. Já a Copa das Confederações de 2021 deve acontecer no período tradicional de junho e julho, mas em um outro país da federação asiática – os favoritos são Austrália, Japão ou Coreia do Sul, derrotados pelo Catar no processo de escolha da sede do Mundial de 2022.

Jornal Midiamax