Esportes

Comitê Olímpico diz que continência é “patriótica” e não tem conotação política

O Comitê Olímpico Brasileiro emitiu uma nota oficial nesta quarta-feira sobre o assunto

Gerciane Alves Publicado em 15/07/2015, às 19h33

None
continencia.jpg

O Comitê Olímpico Brasileiro emitiu uma nota oficial nesta quarta-feira sobre o assunto

Após a atitude de prestar continência à bandeira do Brasil e ao Hino Nacional tomada por vários atletas do País ao subirem ao pódio nos Jogos Pan-Americanos de Toronto , o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) emitiu uma nota oficial nesta quarta-feira sobre o assunto. De acordo com a entidade, o gesto dos atletas militares é um “sinal de respeito” e “patriotismo”, e que não deve ser encarado com viés político.

“A continência, além de regulamentar, quando prestada de forma espontânea e não obrigatória, é uma demonstração de patriotismo, sem qualquer conotação política, perfeitamente compatível com a emoção do atleta ao subir no pódio e se saber vencedor. Segundo muitos deles, representa também um reconhecimento pelo apoio que recebem das Forças Armadas e uma manifestação do orgulho que têm em representar o País”, disse o COB.

A parceira entre o comitê e as Forças Armadas brasileiras existe desde 2009, quando atletas receberam apoio financeiro e estrutural de Exército, Marinha e Aeronáutica. Em troca, se tornaram militares para representar o Brasil nos Jogos Mundiais Militares de 2011, que aconteceram no Rio de Janeiro. Vários esportistas que competem no Pan de Toronto também passaram por um curso das Forças Armadas antes da competição.

Jornal Midiamax