Esportes

Caso Fifa: Suíça extradita um dos cartolas presos para os EUA

Dirigente acusado de corrupção no escândalo da Fifa não teve identidade divulgada

Clayton Neves Publicado em 16/07/2015, às 10h42

None
alx_esporte-futebol-fifa-20150602-01_original.jpeg

Dirigente acusado de corrupção no escândalo da Fifa não teve identidade divulgada

Um dos sete cartolas da Fifa acusados de corrupção e detidos no final de maio na Suíça foi extraditado para os Estados Unidos a pedido das autoridades americanas. A transferência aconteceu na quarta e foi anunciada nesta quinta-feira (16) pela Suíça.

O nome do dirigente extraditado não foi divulgado. Na semana passada, a Justiça suíça anunciou que um dos cartolas presas havia aceitado a extradição. Segundo a agência Reuters, o dirigente seria o ex-vice da Fifa e ex-presidente da Concacaf Jeffrey Webb, natural das Ilhas Cayman. O ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) José Maria Marin está entre os detidos pelo escândalo de corrupção.

“(O dirigente) foi entregue a três homens da polícia americana em Zurique, que o acompanharam em um voo para Nova York”, disse um breve comunicado da Suíça.

No último dia 1º, o governo americano formalizou o pedido de extradição contra os cartolas. Se a requisição foi aprovada pela Justiça suíça, os presos terão duas instâncias superiores para recorrer na Suíça. O procedimento completo, porém, poderia durar até seis meses.

Jornal Midiamax