Esportes

Após derrota, torcida santista protesta e é contida por PM

Marcelo Fernandes resolveu partir para o tudo ou nada

Diego Alves Publicado em 06/07/2015, às 00h18

None
geuvanioexpulsodelamonicafp_1.jpg

Marcelo Fernandes resolveu partir para o tudo ou nada

A quinta derrota do Santos no Campeonato Brasileiro , sendo a terceira de forma consecutiva e a primeira em casa na temporada, revoltou os poucos mais de 4 mil torcedores que foram à Vila Belmiro e assistiram ao Grêmio fazer 3 a 1, com direito a gritos de “olé” ao fim da partida.

O time paulista agora tem um retrospecto de apenas uma vitória nos últimos nove jogos e voltou à zona de rebaixamento, na 17ª colocação, com 10 pontos em 11 rodadas. Diante deste tenebroso cenário, os jogadores e a comissão técnica não foram perdoados. Já na descida para o vestiário, no intervalo do confronto, um grupo de torcedores protestava: “queremos jogador”.

No segundo tempo, após a contusão de Gabriel, Marcelo Fernandes resolveu partir para o tudo ou nada, já que perdia por 2 a 1 com um homem a menos. Mas, quando escolheu Nilson para entrar, ouviu muita chiadeira e gritos de “burro”.

Porém, o clima ficou tenso mesmo depois do apito final. “Não é mole, não. P… no c… dos jogadores que não honram o Peixão”, cantavam, indignados, os torcedores. Além disso, muitos objetos foram atirados no campo.

Em seguida, mais exaltados, alguns membros de organizadas desceram a arquibancada e foram em direção ao vestiário e à sala de imprensa, que fica ao lado. Mais uma vez, xingaram e tentaram quebrar a porta de vidro que fica na entrada da sala que Marcelo Fernandes daria entrevista. Os jornalistas que trabalhavam na partida tiveram dificuldade para entrar no local e a situação só se apaziguou após a chegada de seis policiais militares.

Jornal Midiamax