Cotidiano / Emprego & Concurso

Empreendedorismo contribui para projeções positivas de microempresários

61% estão otimistas das MPEs estão otimistas

Evelin Cáceres Publicado em 16/03/2018, às 11h04

None

61% estão otimistas das MPEs estão otimistas

As micro e pequenos empresários (MPEs) apresentaram projeções positivas para os negócios no mês
de março: 61% estão otimistas  e apenas 10% têm expectativas negativas. No que tange às projeções
da economia brasileira, 46% vislumbram um futuro positivo em contraste com 21%. As informações
integram o Indicador de Expectativas, um balizador do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da
Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) que avalia a visão dos empresários acerca do
futuro, o qual encerrou o mês de fevereiro em 62,5 pontos.
O indicador aponta ainda que 32% dos micro e pequenos empresários otimistas observaram melhora
em indicadores econômicos. E, apesar de 45% dos micro e pequenos empresários não apresentarem
justificativas para o otimismo, fatores como Gestão de negócios e Empreendedorismo estão ligados
diretamente às expectativas – 31% confiam na própria forma de gerir os negócios e 29% estão
investindo no empreendimento.

Empreendedorismo

Um dos fatores ligados ao sucesso dos negócios é a habilidade constante de empreender – seja na
criação de produtos e serviços seja por meio do intraempreendedorismo, que é a habilidade de inovar
dentro do ambiente de trabalho, nos limites da empresa onde atua o profissional. É preciso, portanto,
que o gestor busque qualificar-se e uma das formas é por meio da graduação ou da pós-graduação.
O curso de Empreendedorismo é ofertado na modalidade EAD, com duração de dois a três anos em
municípios do Mato Grosso do Sul, a exemplo de Campo Grande e Nova Andradina. O futuro
profissional aprende a interpretar os cenários socioeconômicos e a analisar os mercados nos níveis
regional, nacional e global; além de desenvolver habilidades para iniciar o próprio negócio.
Coordenador do curso de Empreendedorismo da UNIASSELVI, Leonardo Furtado destaca que “por
meio das atividades interdisciplinares, o curso permite o desenvolvimento de um plano de negócios em
que o acadêmico tem a possibilidade de empreender. Existem disciplinas específicas de
Empreendedorismo, Inovação e Desenvolvimento de Novos Produtos, Prospecção de Novos Negócios
e Agências de Fomento”, destaca Furtando citando, como consequência, que o profissional desenvolve
espontaneamente a capacidade de enxergar as oportunidades do mercado.

Gestão de Negócios

​Segundo o indicador, 25% dos micro e pequenos empresários observaram melhoras no negócio no
último ano, ante 17% em 2017; houve também redução de 10% entre os empresários que acreditam ter
havido piora nos negócios – de 49% em 2017, o índice fechou em 39% em 2018.
A qualificação na área pode ser obtida por meio de pós-graduações como MBA Executivo em
Negócios ou o MBA em Gestão Estratégica de Negócios. Com isto, o gestor aprende a lidar com
setores e atividades como fluxo de caixa, análise de retorno, negociação de compra e venda de
produtos, planejamento de projetos para otimizar os recursos, entre outros.

Jornal Midiamax