Cotidiano / Emprego & Concurso

Aprovadas em concurso protestam na Prefeitura por vagas da Omep e Seleta

Manifestantes afirmam que foram aprovadas, mas nunca convocadas

Joaquim Padilha Publicado em 05/01/2017, às 13h47

None
monitorasprotesto.jpeg

Manifestantes afirmam que foram aprovadas, mas nunca convocadas

Cerca de 80 pessoas, na maioria mulheres, protestaram na manhã desta quinta-feira (5) em frente à Prefeitura Municipal de Campo Grande, pedindo a contratação efetiva dos aprovados em um concurso de 2013, destinado ao preenchimento de cargos de monitores em escolas da rede municipal de Ensino e Ceinfs (Centros de Educação Infantil).

Segundo as manifestantes, o concurso teve 2.973 aprovados, mas as vagas nunca foram preenchidas por elas. Ao invés disso, durante a gestão do ex-prefeito Alcides Bernal (PP), os cargos de monitores da educação infantil foram preenchidos por pessoas contratadas por meio de convênios com as instituições Omep e Seleta.

Com a demissão em massa dos contratados pelos convênios, as manifestantes pedem que o prefeito, Marquinhos Trad (PSD), preencha as vagas em aberto com a efetivação dos aprovados no concurso de 2013, que ainda estaria válido.

De acordo com a manifestante Vivian Barros, 32, a validade do concurso foi prorrogada e deve se encerrar em fevereiro de 2018, quando os aprovados não poderiam mais ser convocados.

"Já que o prefeito tem que fazer essa troca que pelo menos chame parte desses aprovados para substituir o pessoal da Omep e Seleta", pede a manifestante. Ela afirma que cerca de 60% dos contratados por meio dos convênios com as instituições, inclusive, foram aprovados no concurso, mas nunca foram convocados.

É o caso de Caroline Ariano, 33, que trabalhou por dois anos como monitora em um Ceinf da Capital em convênio com a Omep. Demitida, ela diz que espera que o prefeito tome alguma providência, já que ela foi aprovada no concurso de 2013.

"Na época eu fiz o concurso, fui aprovada, mas nunca fui chamada. Aí fiquei sabendo da seleção da Omep, levei meu currículo lá e fui chamada, mas como contratada", explica Caroline. "Bastaria me efetivar pra eu voltar a trabalhar".

Resposta da Prefeitura

As manifestantes explicam que conversaram em reunião com o prefeito Marquinhos Trad na manhã desta quinta-feira. A resposta oficial sobre o caso só deve sair na segunda-feira (9), afirmou o prefeito.

Assim como Marquinhos disse anteriormente, ele estaria elaborando um plano de demissões dos contratados da Omep e Seleta, que levará ao Ministério Público Estadual para aprovação. Dependendo da resposta do órgão, será dada uma devolutiva positiva ou negativa às manifestantes. O prefeito pediu que elas retornassem à Prefeitura na segunda-feira.

Na última quarta-feira (4), na Câmara dos Vereadores, Marquinhos disse que os demitidos da Omep e Seleta terão uma "notícia maravilhosa" até esta sexta-feira (6). O prefeito espera que as demissões não sejam feitas 'em massa' e sim gradualmente, a fim de não afetar os contratados e suas famílias.

(sob supervisão de Ludyney Moura)

Jornal Midiamax