gerou 7.978 empregos formais no acumulado geral de 2023. O setor de serviços é o maior responsável, com 3.408 novas vagas geradas ao longo do ano.

Logo em seguida, o setor de indústria e construção foi responsável pela criação de 2.480 novos postos de trabalho. No houve a criação de 1.468 vagas, enquanto a gerou 622 novos postos.

Os dados são PNAD/Contínua (3º trimestre/2023) divulgada pelo IBGE em novembro deste ano.

De acordo com o levantamento, o estoque de empregos formais atingiu 229.211 trabalhadores com carteira assinada, 81,24% desses empregos estão concentrados no setor de serviços (incluindo comércio).

O peso da indústria é de 10,75% e da construção, 6,01%. A Agropecuária, com 4,6 mil empregos formais, supera pela primeira vez a marca dos 2% (2,01%) de mão de formal empregada.

“Não podemos deixar de lembrar que Campo Grande situa-se em segundo lugar entre as 27 capitais com menor índice de desocupação, com taxa de 3,1%, muito abaixo da média nacional de 7,7%”, finaliza o superintendente de Indústria, Comércio, Serviços e Comércio Exterior, José Eduardo Corrêa dos Santos.