Preços de fretes recuam em MS com fim da colheita de soja

Início da colheita do milho e a remoção da soja pode refletir no aumento dos fretes praticados
| 24/05/2022
- 15:52
fretes
(Foto: Ilustrativa/Divulgação)

Boletim Logístico publicado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) mostrou que Mato Grosso do Sul teve recuo no de fretes, de modo gradativo, ao longo do mês de abril. Porém, segunda safra do milho pode mudar situação.

O encerramento da colheita da soja em MS e no vizinho Mato Grosso fez a demanda por veículos para transporte dos grãos recuou e, consequentemente, influenciou os preços dos fretes praticados.

A redução constatada na maioria das praças pesquisadas ocorreu de modo gradativo ao longo de abril, com agentes transportadores testando os limites de oferta de preços em relação ao volume disponibilizado para transporte e o destino das cargas.

Segundo dados obtidos no ComexStat, os volumes exportados de soja em abril atingiram 473.816 toneladas, quantidade inferior às 769.987 toneladas registradas em março deste ano, fato que também contribuiu para a redução dos preços dos fretes praticados.

Rotas de fretes

As rotas com destino à exportação mais utilizadas no período foram àquelas rumo aos Portos de Paranaguá e São Francisco do Sul (PR), seguidas de Santos (SP) e Rio Grande (RS). O destaque fica por conta do desempenho das exportações, via porto fluvial de Porto Murtinho (MS), que exportou quase 49 mil toneladas em abril.

Com relação às rotas internas, estas permaneceram ativas, principalmente aquelas com destino às indústrias de processamento, no Paraná, e Rio Grande do Sul, em função da forte demanda internacional por óleos vegetais.

Perpectivas

Segundo dados da Aprosoja/MS, em abril/22 foi comercializado 61,5% da safra de soja 2021/22 do Estado, redução de 7%, se comparado ao volume realizado na safra anterior, para o mesmo período.

O bom momento das cotações das commodities agrícolas nesta safra favorece os produtores
que, capitalizados, optam por comercializar o produto que excedeu à cobertura dos custos de produção no momento mais oportuno, cadenciando o escoamento e suavizando os picos de movimentação de cargas, afetando assim, os preços dos fretes agrícolas.

Em MS, as boas precipitações têm proporcionado desenvolvimento satisfatório das lavouras na maioria das áreas.

Para os próximos meses são esperadas alterações no comportamento do mercado de fretes, com o início da colheita do milho segunda safra em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso e a necessidade de remoção da soja, visando à abertura de espaço para a recepção do milho segunda safra -, o que pode refletir no aumento dos fretes praticados.

Veja também

A Receita Federal inicia, na quinta-feira (30), o pagamento do segundo lote da restituição do...

Últimas notícias