Cotidiano / Economia

Expectativas para a economia de 2022: segundo especialista, controle da inflação é principal desafio do ano

Altas taxas de juros e menor poder de compra também são previstos

Fernanda Feliciano Publicado em 01/01/2022, às 14h01 - Atualizado às 14h14

Inflação é prevista em 5% em 2022, de acordo com o Boletim Focus do Banco Central.
Inflação é prevista em 5% em 2022, de acordo com o Boletim Focus do Banco Central. - Arquivo/Midiamax

A economia do Brasil e do Mato Grosso do Sul enfrenta inflação e altas taxas de juros e, por isso, segundo o economista Eliseu Nantes, o grande desafio é controlar o inchaço. 

Segundo o especialista, a inflação prevista é de custos e por demanda - a inflação de custos advém da alta do dólar e afeta o custo da fabricação de produtos, já a inflação por demanda ocorre quando a procura é maior que a oferta agregada, o que segundo o especialista ocorreu em razão do isolamento social em 2020 e 2021.

“Nós [Mato Grosso do Sul] temos um certo equilíbrio econômico mas a inflação está bem alta, você vê isso nos valores dos veículos, mercadorias, supermercado (...) há um exagero nos preços e esse é o grande desafio”, afirma. 

Ainda de acordo com o economista, a alta da inflação diminui o poder de compra do consumidor. Por este motivo, o recomendado é analisar todos os gastos, manter controle financeiro mais rígido e tomar cuidado com o juros do cartão de crédito durante 2022. 

De acordo com o Boletim Focus do Banco Central, a expectativa de crescimento da economia nacional é de cerca de 0,5% do PIB (Produto Interno Bruto). Mato Grosso do Sul ocupa o 15º lugar no Ranking do PIB nacional, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e a Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar). 

A inflação é estimada em 5% em 2022, segundo o Boletim Focus divulgado pelo Banco Central. 

Jornal Midiamax