Com destaque para soja e celulose, exportações de MS crescem 16,88% em maio deste ano

Em termos de valores, as transações do comércio exterior sul-mato-grossense somaram US$ 3,399 bilhões
| 14/06/2022
- 18:45
Colheita da soja em MS |
Imagem ilustrativa - (Foto: Divulgação/Semagro)

registrou um aumento de 16,88% nas exportações entre os meses de janeiro e maio de 2022 em relação a igual período de 2021. As vendas externas de soja, celulose, bovina e aves tiveram destaque no acumulado.

No total, em termos de valores, as transações do comércio exterior sul-mato-grossense somaram US$ 3,399 bilhões nos cinco primeiros meses de ano, e no mesmo intervalo do ano passado foram US$ 2,908 bilhões.

A balança comercial do Estado apresentou superávit, alcançando cerca de US$ 2,027 bilhões, valor 2,71% superior ao verificado de janeiro a maio de 2021 (US$ 1,973 bilhão). Os dados estão na Carta de Conjuntura do Setor Externo do mês de junho, elaborada pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

Outros itens da pauta de exportações sul-mato-grossense também apresentaram crescimento no acumulado de janeiro a maio de 2022, em relação ao ano passado, como os óleos e gorduras vegetais e animais, com aumento de 74,58% e o ferro-gusa e ferroligas, que teve alta de 76,98% nas vendas externas.

Em relação aos produtos importados, Mato Grosso do Sul continua com a pauta concentrada na importação de gás boliviano, que representou 42,39% das importações de janeiro a maio de 2022, com valores 54,06% acima dos verificados em igual período de 2021.

Entre os destinos das exportações, o principal parceiro comercial continua sendo a China, que representou 45,8% do total exportado, em termos de valor, de janeiro a maio de 2022. Os países com maior aumento na participação foram: Índia (859,36%) e Indonésia (137,35%) e entre os 10 maiores destinos não foi verificado queda nas exportações.

Três Lagoas foi o principal município exportador em janeiro a maio de 2022, com cerca de 34,25% dos valores exportados, com composição baseada sobretudo nas exportações na indústria de Papel e Celulose.

Veja também

Afinal, o PIS de 2021 deve ser depositado em 2022 ou ficará só para 2023?

Últimas notícias