Cotidiano / Economia

Profissionais temem sobrecarga com novo prazo de declaração do Imposto de Renda

Prorrogação é ajuda para alguns e motivo de ‘relaxamento’ para os desorganizados

Gabriel Neves Publicado em 13/04/2021, às 14h30

Imagem ilustrativa.
Imagem ilustrativa. - (Foto: Reprodução)

O novo prazo para realização da entrega da IRPF (Declaração de Imposto de Renda das Pessoas Física) de 2021, referente ao ano calendário 2020, prorrogado para 31 de maio de 2021, não deve causar problemas no procedimento de declaração ou pagamento da restituição, mas profissionais temem um maior ‘relaxamento’ da população.

Anteriormente o prazo final era no dia 30 de abril deste ano. A mudança foi implementada por meio da instrução normativa 2.020, publicada no "Diário Oficial da União" desta segunda-feira (12). Além do IRPF, os prazos de entrega da Declaração Final de Espólio, da Declaração de Saída Definitiva do País, assim como o vencimento do pagamento do imposto relativo às declarações também foram prorrogados para 31 de maio de 2021.

A mudança nos prazos não deve alterar o calendário de restituições, ou seja, o contribuinte continuará a receber o reembolso em cinco lotes mensais, de 31 de maio a 30 de setembro.

“Essas mudanças são até melhores, pois dá mais tempo para que as pessoas possam se programar, principalmente em relação recibos médicos, a declaração da mensalidade escolas, problemas bancários, que geralmente levam mais tempo para serem resolvidos”, explicou o professor de Ciências Contábeis da Uniderp, Ayron Vinicius de Assunção.

Para a coordenadora do núcleo de Ciências Contábeis da Faculdade Estácio, Iara Marchioretto, as pessoas que por costume realizam a declaração logo no início do prazo não devem nem mesmo perceber essa mudança no prazo, mas a prorrogação da data deve deixar ainda mais relaxadas aquelas pessoas que “deixam para a última hora”.

“Isso não tem relação com a medida em si, que não deve acarretar problemas na declaração ou pagamento da restituição, mas nós sabemos como as pessoas se comportam e deixam tudo para a última hora, agora com um prazo maior, é provável que elas se importem menos ainda com o prazo”, disse Iara.

Tanto Iara, como Ayron, orientam que os contribuintes se programem e aproveitem o maior prazo para organizar todos os documentos necessários e então realizem a declaração sem maiores problemas. “As pessoas precisam utilizar como base o prazo antigo, até porque essa nova data não é algo permanente, se trata de uma medida pontual”, disse Iara.

Documentos necessários para declarar o Imposto de Renda 2021

  • Renda
    • Informes de rendimentos de instituições financeiras, inclusive corretora de valores;
    • Informes de rendimentos de salários, pró-labore, distribuição de lucros, aposentadoria, pensão etc.;
    • Informes de rendimentos de aluguéis de bens móveis e imóveis recebidos de pessoas jurídicas;
    • Informações e documentos de outras rendas recebidas no ano, como pensão alimentícia, doações e herança;
    • Resumo mensal do livro caixa com memória de cálculo do carnê-leão; DARFs de carnê-leão.
  • Bens e direitos
    • Documentos que comprovem a compra e a venda de bens e direitos;
    • Cópia da matrícula do imóvel e/ou escritura de compra e venda;
    • Boleto do IPTU de 2020;
    • Contratos sociais de empresas em o contribuinte seja sócio.
  • Dívidas e ônus
    • Informações e documentos de dívida e ônus contraídos e/ou pagos no período.
  • Informações gerais
    • Dados da conta bancária para restituição ou débitos das cotas de imposto apurado, caso haja;
    • Nome, CPF, grau de parentesco dos dependentes, data de nascimento e endereço atualizado;
    • Cópia da última declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (completa) entregue;
  • Pagamentos e doações efetuados
    • o Recibos de pagamentos ou informe de rendimento de plano ou seguro saúde (com CNPJ da empresa emissora e a indicação do paciente);
    • o Despesas médicas e odontológicas em geral (com CNPJ da empresa emissora ou CPF do profissional, com indicação do paciente);
    • o Comprovantes de despesas com educação (com CNPJ da empresa emissora com a indicação do aluno);
    • o Recibos de doações efetuadas;
    • o Comprovante de pagamento de pensão alimentícia em decorrência de decisão judicial por alimentando.

Balanço

Até as 11h de hoje (12), segundo o balanço mais recente, a Receita Federal havia recebido 12.451.339 declarações do IRPF. Isso equivale a 38,2% do previsto para este ano.

Do total de declarações enviadas, 42.196 foram entregues com certificado digital. Neste ano, a Receita espera receber até 32.619.749 declarações. No ano passado, foram enviadas 31.980.146 declarações.

Jornal Midiamax