Cotidiano / Economia

Preços de alimentos disparam e inflação chega a 2,9% no ano em Campo Grande

Carne foi o item que apresentou maior alta no período e mais impactou no resultado

Gabriel Maymone Publicado em 11/05/2021, às 11h43

Preço de carnes dispararam em abril
Preço de carnes dispararam em abril - Ilustrativa / Arquivo

Campo Grande tem inflação acumulada de 2,9% neste ano após registrar alta de 0,46% no mês de abril. Conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a variação ocorreu após disparada de 1,22% no preço dos alimentos.

Conforme o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) divulgado nesta terça-feira (11) pelo IBGE, o maior impacto na inflação de abril é da carne, que teve alta de 4,12% no período. Na sequência, os itens que ficaram mais caros estão: tomate (5,49%), sal e condimentos (4,03%) e frango em pedaços (3,63%).

De acordo com o gerente da pesquisa, Pedro Kislanov, as carnes, que acumularam uma alta de 34,52%, nos últimos 12 meses, tiveram seus preços aumentados em abril devido, principalmente, à inflação de custos por causa da ração animal. “Estamos em um momento em que há uma grande alta no preço das commodities. Nesse caso, principalmente a soja e o milho estão impactando os custos do produtor e isso acaba influenciando o preço final do produto no mercado”, pontua o gerente da pesquisa.

Um dos vilões da inflação nos últimos tempos, a gasolina apresentou queda de 0,73% em abril. Transportes por aplicativos também registraram queda na média de preços. 

O agravamento da pandemia também elevou preços de produtos de saúde como farmacêuticos (1,18%), higiene pessoal (0,97%) e planos de saúde (0,74%).

Jornal Midiamax