Cotidiano / Economia

Com 17 mil demissões em junho, MS tem menor saldo do Centro-Oeste, aponta IBGE

O número é 25% maior que o registrado no mesmo mês em 2020

Gabriel Neves Publicado em 29/07/2021, às 15h15 - Atualizado às 15h16

Imagem ilustrativa.
Imagem ilustrativa. - (Foto: Reprodução)

Mato Grosso do Sul registrou mais de 17.321 demissões em junho de 2021 e possui um saldo de 3.535 novos empregos, o menor do Centro-Oeste. Os dados foram disponibilizados pelo Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), através do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O saldo de novos empregos considera o número de admissões e demissões registrados em julho. Foram 20.856 pessoas empregadas e 17.321 demitidas neste período, deixando MS com o saldo de 3.535, o menor da região. O maior saldo registrado foi em Goiás, com 15.141 novos empregos, seguido por Mato Grosso, com 12.046, e Distrito Federal, com 4.656.

Ao olharmos para junho de 2020, quando o Estado registrou 13.854 demissões, existe um aumento de 25% no número de desligamentos em Mato Grosso do Sul, se comparados com os dados de 2021.

Setores

Conforme os dados do Novo Caged, MS ficou com números negativos em dois grupos de atividades econômicas. O setor de água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação registrou um saldo de -120, ou seja, ocorreram mais demissões do que contratações.

Neste caso, o Estado foi o único que apresentou saldo negativo no Centro-Oeste. No setor de artes, cultura, esporte e recreação foi registrado um saldo de -13, deixando MS com dados melhores que o Distrito Federal, mas ainda atrás de Goiás e Mato Grosso.

Entre os 3.535 novos empregos gerados, os setores com melhor desempenho foram serviço e comércio, com saldo de 1.091 e 1.070, respectivamente. Logo depois, estão a indústria, com 706 novas vagas registradas, e a agricultura, com 529.

Jornal Midiamax