Cotidiano / Economia

Recorde: produção de grãos deve superar 22 milhões de toneladas em Mato Grosso do Sul

Veja quais são as culturas que têm amior representatividade da produção de grãos de Mato Grosso do Sul, conforme a Conab.

Gabriel Maymone Publicado em 12/10/2020, às 14h56 - Atualizado em 15/10/2020, às 09h21

Soja representa 55,4% dos grãos produzidos em MS. (Foto: Divulgação)
Soja representa 55,4% dos grãos produzidos em MS. (Foto: Divulgação) - Soja representa 55,4% dos grãos produzidos em MS. (Foto: Divulgação)

Quinto maior produtor de grãos do país, Mato Grosso do Sul deve encerrar a safra 2020/21 com recorde de produção: 22 milhões de toneladas, segundo estimativa da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O total representa alta de 7,3% em relação à safra anterior.

O estudo também aponta crescimento na área cultivada, na ordem de 6,6%. Assim, a expectativa é que nesta safra o plantio ocupe cerca de 5,3 milhões de hectares, o que corresponde a 331 mil hectares a mais.

Conforme o 1º Levantamento da safra de grãos 2020/21, a produção estimada de 22 milhões de toneladas supera em 1,5 milhão de toneladas o recorde de 20,5 milhões de toneladas da última safra.

Culturas

Dos grãos produzidos em Mato Grosso do Sul, a soja representa 55,4% do total. Conforme a estimativa da Conab, para a safra 2020/21, o estado deve produzir 12,2 milhões de toneladas da leguminosa. O número representa alta de 7,7% em relação ao total produzido na safra anterior.

A área produzida também aumentou significativamente, saltando de 3 milhões de hectares para 3,3 milhões, alta de 11,1%.

Nesta safra, o milho deve representar 42,7% da produção de grãos em MS, com um total de 9,4 milhões de toneladas. O valor supera em 7,3% o total produzido na safra 2019/20, de 8.7 milhões.

produção de grãos
Milho é segundo grão em destaque em MS. (Foto: CNA, Wenderson Araújo, Trilux)

Apesar de pouca representatividade, um dos destaques dessa safra é a alta na produção de trigo. Enquanto que para 2019/20 o total produzido foi de 43,5 mil toneladas, o estimado para 2020/21 é que haja aumento de 89%, chegando a 82,6 mil toneladas.

Já a produção de arroz e feijão devem recuar na próxima safra, estima a Conab. No primeiro caso, a produção deve registrar queda de 2,3%, diminuindo de 68,9 mil toneladas para 67,3 mil toneladas. Já para o feijão, o recuo será de 0,5%, caindo de 39,9 mil toneladas para 39,7 mil toneladas. Apesar da área produzida ser a mesma, a produtividade deve ser 0,4% menor.

Porém, a queda mais acentuada deve ser verificada no algodão pluma, que deve ter produção 12,3% menor. A safra 2020/21 terá produção de 7,2 mil toneladas a menos. Isso porque houve redução significativa de 12,3% na área plantada.

Jornal Midiamax