Cotidiano / Economia

Por gasolina a R$ 2,50 o litro, douradenses enfrentam frio e fila que começou às 3h

Nem mesmo a  madrugada fria de Dourados espantou quem queria conseguir gasolina a R$ 2,50 o litro. Para garantir uma das 250 senhas,  teve gente que entrou na fila às 3 horas.  Entretanto,  o atendimento só começou as 7 horas da manhã, com limite de até 20 litros por veículo. Em menos de duas, com […]

Marcos Morandi Publicado em 04/06/2020, às 09h09 - Atualizado às 09h27

Reprodução promocional foi de 47% direto na bomba. (Foto: Marcos Morandi)
Reprodução promocional foi de 47% direto na bomba. (Foto: Marcos Morandi) - Reprodução promocional foi de 47% direto na bomba. (Foto: Marcos Morandi)

Nem mesmo a  madrugada fria de Dourados espantou quem queria conseguir gasolina a R$ 2,50 o litro. Para garantir uma das 250 senhas,  teve gente que entrou na fila às 3 horas.  Entretanto,  o atendimento só começou as 7 horas da manhã, com limite de até 20 litros por veículo.

Em menos de duas, com uma fila que ocupou todo o quarteirão, todas senhas já tinham sido entregues pelos atendentes do Posto Falleiros, no cruzamento da Hayel Bom Faker com a Marcelino Pires que estava fechado há quase dois anos.

“Já estávamos programados para abrir mais essa unidade aqui em Dourados e aproveitamos para fazer isso no Dia Livre de Imposto”, conta o empresário Lucas Faleiros, que aceitou o convite feito pela CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Dourados”.

Segundo o presidente da CDL, Giovani Dal Molin, apenas um posto de gasolina de Dourados fez a adesão ao Dia Livre de Imposto, que é organizado FCDL (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas). “Nosso objetivo é mostrar ao consumidor a carga tributária que ele carrega na costas”, explica Dal Molin.

Por gasolina a R$ 2,50 o litro, douradenses enfrentam frio e fila que começou às 3h
Funcionária, durante a distribuição de uma das 250 senhas. (Foto: Marcos Morandi).

Na avaliação do proprietário do posto, a redução do imposto sobre a gasolina representa 47%, . Com isso, abrindo mão de qualquer margem de lucro,  foi possível, segundo ele, oferecer a gasolina diretamente na bomba ao valor de R$ 2,50 o litro.

Para o funcionário público federal Carlos Matias Andrade, um dos primeiros a ser atendido, a oferta estava irrecusável. “Enfrentaria quantas filas fossem necessárias para garantir mesmo que sejam apenas 20 litros”, explica Carlos.

Por gasolina a R$ 2,50 o litro, douradenses enfrentam frio e fila que começou às 3h
Agentes de trânsito acompanharam o movimento dos carros.(Foto : Marcos Morandi).

Já a professora de uma escola da rede particular de Dourados, Antonia Souza Martins, o País precisa rever essa taxação sobre os produtos essenciais para a população . “A gasolina tinha que ser adicionada à lista da nossa cesta básica”, comenta professora.

Para evitar congestionamento na região central da cidade, policiais militares e agentes de trânsito acompanharam a movimentação dos veículos em frente ao posto de gasolina.

Jornal Midiamax