Cotidiano / Economia

Já é consenso retirada temporária de PIS/Cofins sobre etanol, diz ministra

A retirada da cobrança do PIS/Cofins sobre o etanol já é um consenso entre o Ministério da Agricultura e o Ministério de Minas e Energia (MME), afirmou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, em transmissão ao vivo pela Bandnews. Questionada sobre as medidas do governo para o setor sucroenergético em meio à crise entre Arábia Saudita […]

Agência Estado Publicado em 13/04/2020, às 12h34 - Atualizado em 07/07/2020, às 21h27

(Foto: arquivo)
(Foto: arquivo) - (Foto: arquivo)

A retirada da cobrança do PIS/Cofins sobre o etanol já é um consenso entre o Ministério da Agricultura e o Ministério de Minas e Energia (MME), afirmou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, em transmissão ao vivo pela Bandnews.

Questionada sobre as medidas do governo para o setor sucroenergético em meio à crise entre Arábia Saudita e Rússia e à pandemia do coronavírus, a ministra disse que, em virtude da importância do setor, que também contribui muito para a balança comercial brasileira, o MME está estudando um aumento na Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para gasolina.

Já o Ministério da Agricultura, afirmou Tereza Cristina, está tentando tornar viável uma linha de crédito para estocagem a fim de minimizar os prejuízos dos produtores. “Essa semana já teremos resultados para que o produtor tenha tranquilidade para colher a cana”, garantiu.

Os altos juros para linhas de crédito nesse período são o maior desafio do governo para garantir a nova linha de crédito, disse Tereza Cristina.

De acordo com ela, o financiamento seria direcionada para estocagem por cerca de 1 ano, já que “a cana-de-açúcar não pode esperar para ser processada”.

Na visão da ministra, reverter a produção de etanol para açúcar não é exatamente uma solução. “É nessa hora que o governo tem de entrar para minimizar os prejuízos”, disse Tereza Cristina, afirmando que o setor está entre as prioridades do governo.

Jornal Midiamax