Com um aumento das exportações para a China, a balança comercial do Mato Grosso do Sul registrou um superávit de US$ 24,3 milhões, entre janeiro e abril de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Dados divulgados nesta segunda-feira (25) pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar () ainda mostram uma forte queda das exportações para dois dos três maiores parceiros comerciais do Estado: (-37,03%) e (-12,34%).

“Em termos de destino das exportações houve uma concentração nas vendas para a China,
representando em jan-abr de 2020 cerca de 47,73% do valor total das exportações”, disse a Semagro, em relatório. O número representa um aumento de 4,76% na participação dos chineses entre os maiores consumidores de produtos do MS. A China é, de longe, a maior parceira comercial do Estado.

Já os americanos importaram menos produtos sul-mato-grossenses neste ano até agora. “A maior queda (nas exportações) foi registrada para os EUA, com baixa de 37,03% nas vendas em relação a jan-abr de 2019”, destaca o documento.

Nos quatro primeiros meses de 2020, as exportações totais de produtos sul-mato-grossenses somaram US$ 1.731.419, ante US$ 1.757.786 no mesmo período do ano passado. Já as importações, ficaram em US$ 752.123 entre janeiro e abril deste ano, contra US$ 802.834 nos quatro primeiros de 2019.

Principais commodities em Três Lagoas

Apesar de uma queda de 15,2% nas exportações de celulose, a commoditie continua sendo o produto mais exportado pelo Estado, representando 33,99% do total, em termos do valor. Nos quatro primeiros meses do ano, foram exportados US$ 588,559 milhões do polímero.

Com isso, o Município de Três Lagoas segue líder em exportações, representando cerca de 44% do total exportado nos primeiros meses de 2020 (US$ 637.759) . Em segundo lugar vem Dourados, que representou cerca de 13,5% de todas as exportações do MS, neste ano, somando US$ 198,188 milhões.

Vale lembrar que os números sofrem variações decorrentes dos preços das commodities, além de uma pressão cambial em razão da forte alta do dólar no período comparado.

Industrializados de MS em baixa, açúcar e óleos em alta

Outras commodities ainda verificaram aumento acentuado das vendas para fora. As exportações de açúcar, por exemplo, somaram US$ 19,595 milhões nos quatro primeiros meses do ano – um aumento de 175,19% em relação ao ano passado. Outro destaque é a categoria de “óleos e gorduras vegetais e animais”, cujas vendas avançaram 115%, para US$ 118,480 milhões.

Já os produtos industrializados apresentaram mau desempenho no período. O valor exportado em calçados e artefatos de couro recuou 13,53% nos quatro primeiros meses do mês, somando US$ 22,089 milhões, ante US$ 25,545 milhões no mesmo período de 2019.

Petróleo e derivados lideram importações

“Petróleo, gás natural e serviços de apoio” é a categoria de produtos que o MS mais importou no período. Foram US$ 431,165 milhões importados, contra US$ 428,604 milhões nos primeiros meses do ano passado – um aumento de 0,6%.

O destaque ficou com “produtos químicos inorgânicos”, cujas importações somaram US$ 79,369 milhões, num aumento de 46,54%, em relação a 2019.