Cotidiano / Economia

Atrasada há mais de 15 dias, 2ª parcela do auxílio de R$ 600 ainda não tem previsão de pagamento

Atrasada há mais de 15 dias, a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 ainda não tem data para sair. O calendário inicial previa o pagamento a partir do dia 27 de abril, o que não aconteceu. O Governo Federal anunciou que o calendário seria divulgado até a semana passada, mas trabalhadores ainda aguardam […]

Mylena Rocha Publicado em 14/05/2020, às 08h06 - Atualizado às 13h29

Foto: Leonardo de França | Jornal Midiamax.
Foto: Leonardo de França | Jornal Midiamax. - Foto: Leonardo de França | Jornal Midiamax.

Atrasada há mais de 15 dias, a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 ainda não tem data para sair. O calendário inicial previa o pagamento a partir do dia 27 de abril, o que não aconteceu. O Governo Federal anunciou que o calendário seria divulgado até a semana passada, mas trabalhadores ainda aguardam notícias. 

O auxílio emergencial serve para ajudar trabalhadores informais, MEIs (microempreendedores individuais) e autônomos, que perderam a renda durante a crise causada pelo coronavírus. A promessa do Governo, do Ministério da Cidadania e da Caixa era de divulgar um novo calendário na semana passada. 

“A Caixa esclarece que a responsabilidade pela análise de quem tem o direito ao Auxílio Emergencial é da Dataprev, que é a instituição do Governo Federal responsável por verificar se o cidadão cumpre todas as exigências previstas na lei, com homologação do Ministério da Cidadania”, informou o banco.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, chegou a anunciar que a segunda parcela do auxílio seria antecipada para os trabalhadores do Cadastro Único, mas o Governo voltou atrás e disse que esse adiantamento não deveria acontecer. 

O calendário inicialmente divulgado pela Caixa passou por mudanças, mas aos pagamentos eram divididos em três grupos: inscritos no Cadastro Único, os inscritos pelo site ou aplicativo e os beneficiários do Bolsa Família. 

A previsão para o pagamento era de que os inscritos no Cadastro Único e quem se inscreveu pelo site ou aplicativo deveria receber entre 27 e 30 de abril. Os últimos 10 dias úteis de maio seriam reservados aos beneficiários do Bolsa Família. 

Jornal Midiamax