Cotidiano / Economia

Ainda dá tempo: confira como solicitar saque de até R$ 1.045 do FGTS

Trabalhador que tem direito ao saque emergencial de até R$ 1.045 do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) tem até o dia 31 de dezembro para sacar o valor. A Caixa Econômica Federal informou que o saque pode ser feito de contas ativas ou inativas através da conta poupança social digital, que pode […]

Gabriel Maymone Publicado em 25/12/2020, às 10h31 - Atualizado em 26/12/2020, às 08h07

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação) - (Foto: Divulgação)

Trabalhador que tem direito ao saque emergencial de até R$ 1.045 do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) tem até o dia 31 de dezembro para sacar o valor.

A Caixa Econômica Federal informou que o saque pode ser feito de contas ativas ou inativas através da conta poupança social digital, que pode ser movimentada pelo aplicativo Caixa Tem.

Apesar de o expediente bancário encerrar no dia 30 de dezembro, o aplicativo estará funcionando no dia 31. Os saques são permitidos aos trabalhadores nascidos em dezembro, mas quem nasceu em outro mês poderá fazer nova solicitação até o dia 31, mas a liberação pode demorar até sete dias.

Para tirar dúvidas sobre o FGTS emergencial, o trabalhador pode acessar o site da Caixa ou ligar para a central de atendimento do banco, na opção 2.

Como solicitar o saque emergencial do FGTS?

Para fazer uma nova solicitação é preciso ficar atento. Primeiro, o benefício só poderá ser concedido por quem não utilizou a quantia durante o período do calendário efetivo do programa e também por aqueles que antes mesmo de receber o pagamento informaram não ter interesse.

Desse modo, para desfazer o entrave, basta acessar o aplicativo do FGTS e na função saque emergencial informar o novo interesse em receber o benefício. A confirmação é feita automaticamente, basta informar o número do CPF e senha de acesso no app.

É preciso ficar atento ao fato em que aqueles trabalhadores que receberam o benefício e na sequência solicitaram o desfazimento do crédito não poderão mais fazer o pedido de contestação.

Jornal Midiamax