Cotidiano / Economia

Aeroportos em MS e Parque Nacional terão prioridade para concessão à iniciativa privada

Reunião na quarta-feira (2) do Conselho do PPI (Programa de Parceria de Investimentos) qualificou 58 ativos no país que serão tratados como prioridade pelo governo federal para concessão à iniciativa privada. Entre eles estão os projetos de três aeroportos em Mato Grosso do Sul (Campo Grande, Corumbá e Ponta Porã) e do Parque Nacional da […]

Gabriel Maymone Publicado em 03/12/2020, às 11h39

Aeroporto de Campo Grande e Parque Nacional da Serra da Bodoquena. (Imagem: Divulgação / Montagem)
Aeroporto de Campo Grande e Parque Nacional da Serra da Bodoquena. (Imagem: Divulgação / Montagem) - Aeroporto de Campo Grande e Parque Nacional da Serra da Bodoquena. (Imagem: Divulgação / Montagem)

Reunião na quarta-feira (2) do Conselho do PPI (Programa de Parceria de Investimentos) qualificou 58 ativos no país que serão tratados como prioridade pelo governo federal para concessão à iniciativa privada. Entre eles estão os projetos de três aeroportos em Mato Grosso do Sul (Campo Grande, Corumbá e Ponta Porã) e do Parque Nacional da Serra da Bodoquena.

Com isso, esses terminais de passageiros deverá ser entregue à empresa, que terá que promover investimentos. Em outubro, o governo federal havia publicado edital para contratação de estudos desses aeroportos, inclusive os 3 de MS.

Conforme o governo federal, a etapa de apresentação dos estudos técnicos que vão embasar os editais de leilão está prevista para 2022. O chamamento recebe interessados até 8 de dezembro. Após a publicação do termo de autorização, terão um prazo de 180 dias para apresentar os estudos, período que poderá ser prorrogado.

No caso de Mato Grosso do Sul, o valor máximo de eventual ressarcimento pelo conjunto de projetos será de R$ R$ 4.262.501,16 para a estrutura de Campo Grande; R$ 2.974.360,37 para os projetos de Corumbá; e R$ 3.572.316,65 para os estudos de Ponta Porã.

Parque Nacional da Serra da Bodoquena

A unidade de conservação também foi qualificada para integrar o PPI e deverá ser concedida à iniciativa privada. Os contratos deverão prever que o concessionário apoie a conservação e a proteção de unidades, preste serviço de apoio à visitação e as administre.

Integram a lista as seguintes unidades de conservação: Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, Parque Nacional da Serra da Capivara, Parque Nacional de Anavilhanas, Parque Nacional do Jaú, Parque Nacional da Serra da Bocaina, Floresta Nacional de Brasília, Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Parque Nacional de Ubajara e Parque Nacional da Serra da Bodoquena.

Após 20 anos de sua criação, a unidade de conservação iniciou, em setembro, a visitação turística. A Unidade de conservação possuí 76.480 hectares que abrange os municípios de Bodoquena, Bonito, Jardim e Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul.

O foco das atividades serão os esportes de aventura, mas qualquer pessoa pode contemplar as belezas naturais do parque. Futuramente, estará disponível para os turistas as trilhas de curto e médio percurso, CicloTurismo, Acampamento, Banho no Rio Perdido, Canoagem, Boiacross, Flutuação, Stand Up Padlle e Observação da Fauna

Jornal Midiamax