Cotidiano / Economia

Habitação e alimentação são as principais responsáveis pela inflação de maio na Capital

Ainda assim, houve queda e comparação com abril

Egina Becker Publicado em 07/06/2018, às 13h46

None

O Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (Nepes/Uniderp) realizou no mês de maio, análise financeira para calcular o índice inflacionário da Capital. Conforme estudo, o Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG) foi marcado pela greve dos caminhoneiros, que causou prejuízo no abastecimento de alguns setores, marcando a inflação da Capital em 0,21%. Contudo, a porcentagem teve recuo em comparação ao mês de abril, que fechou em 0,31%.

O aumento nos grupos de habitação em 0,57%, alimentação em 0,63% e transportes em 0,02%, contribuíram, respectivamente, com o acréscimo de 0,18% e 0,13%, sendo que o aumento nos transportes foi quase nula ao cálculo inflacionário.

Com relação aos outros grupos, houve deflação e, portanto, ajudaram a manter o índice de maio inferior ao de abril. Já a Educação teve queda de 0,39% enquanto a saúde de 0,12%. Os demais setores em baixa foram os de despesas pessoais e vestuário, que tiveram baixa de 0,31% e 0,44%.

Segundo Celso Correia de Souza, coordenador do Nepes/Uniderp, maio é geralmente um mês de inflação baixa, contudo, os valores deste ano devem-se ao aumento do diesel e dos produtos do setor de alimentação.

“O mês de maio é, tradicionalmente, um período de inflações muito baixas, mas nesse ano o resultado pode estar ligado aos diversos aumentos do óleo diesel que provocaram impacto na cadeia, principalmente, do grupo alimentação, devido ao uso intenso desse combustível na agricultura e no frete. Também há que destacar que a paralisação dos caminhoneiros provocou redução no estoque e oferta de alguns produtos, como os hortifrútis adquiridos de outros estados”, afirmou Celso.

Estudos do Nepes

10 “vilões” da inflação, em maio:

  • Gás em botijão
  • Óleo Diesel
  • Contrafilé
  • Gasolina
  • Blusa
  • Energia elétrica
  • Papel higiênico
  • Cebola
  • Conta de telefone convencional
  • Queijo-de-Minas

10 itens que auxiliaram a reter a inflação:

  • Etanol
  • Calça comprida feminina
  • Pescado fresco
  • Mamão
  • Cabeleireiro (corte e tintura)
  • Papelaria
  • Tomate
  • Ovos
  • Pedicure e manicure
  • Xampu

Jornal Midiamax