Cotidiano / Economia

Frete é reajustado e paralisação de caminhoneiros encerrada em MS

Valor ficará entre 20 a 30% mais caro, dependendo do trecho

Midiamax Publicado em 18/01/2017, às 21h48

None
unnamed.jpg

Valor ficará entre 20 a 30% mais caro, dependendo do trecho

O movimento de paralisação de caminhoneiros que teve início em Rondonópolis no último dia 13, e que ganhou o apoio de Mato Grosso do Sul, nesta terça-feira (17), chegou ao fim hoje, quarta-feira (18) após as traidings (empresas comerciais exportadoras) aumentarem o valor do frete para o transporte graneleiro, entre 20 a 30%, dependendo do trecho.

Na avaliação do presidente do Setlog/MS, Claúdio Cavol, o empenho de todos que aderiram a paralisação, tanto em Mato Grosso, quanto aqui no estado e em outras regiões, fizeram com que o valor do frete para o transporte graneleiro fosse reavaliado e chegasse quase ao valor pedido pelos manifestantes. 

“O esforço de todos os graneleiros foi recompensado pois há anos não tinham uma revisão de suas tarifas e esperamos que isso tenha reflexos positivos também para as empresas e autônomos que não operam com grãos. Vamos solicitar ao Governo do Estado, à exemplo do MT, que seja fixado um valor mínimo do frete e pedir uma fiscalização efetiva nesse sentido”, afirma o presidente.

No estado, a paralisação contou com a adesão da maioria das empresas do Transporte Rodoviário de Cargas, que optaram por deixar os caminhões nos pátios e ajudaram nos piquetes distribuídos na BR 163 (saída para São Paulo) e BR 262 (Saída para Três Lagoas), onde foram distribuiídos panfletos com as reivindicações e imobilizaram centenas de caminhões nos acostamentos.

Jornal Midiamax