Cotidiano / Economia

Impostômetro marca R$ 1,6 trilhão com 5 dias de ‘atraso’ em relação ao ano passado

O retardamento é consequência do fraco ritmo da economia

Tatiana Marin Publicado em 24/10/2016, às 22h06

None
impostometro.jpg

O retardamento é consequência do fraco ritmo da economia

Os brasileiros já pagaram mais de R$ 1,6 trilhão em impostos em 2016. O valor foi atingido nesta segunda-feira (24), segundo o “Impostômetro” da ACSP (Associação Comercial de São Paulo), informou o G1. No ano passado, o índice foi atingido no dia 19 de outubro.

O presidente da ACSP, Alencar Burti, explicou ao G1 que a fase em que o país está passando contribuiu para o retardamento. “Esse atraso de cinco dias em relação ao ano passado é consequência do ritmo mais fraco da economia. Mesmo assim, o peso da tributação para as empresas e para os consumidores continua o mesmo”.

Neste montante, a parte de Mato Grosso do Sul é de R$ 15,5 bilhões, o que representa menos de 1% do valor nacional. Já Campo Grande arrecadou até o momento R$ 732 milhões, representando cerca de 50% da arrecadação do estado.

A associação informou que a primeira vez que o Impostômetro chegou a R$ 1 trilhão foi no dia 18 de dezembro de 2007. O painel foi implantado em 2005. A marca de R$ 2 trilhões foi alcançada pela primeira vez em 30 de dezembro de 2015.

O montante contabiliza o total de impostos, taxas e contribuições pagas pela população brasileira nos três níveis de governo (municipal, estadual e federal) desde 1º de janeiro de 2016. O objetivo da ferramenta é conscientizar o cidadão sobre a alta carga tributária e incentivá-lo a cobrar os governos por serviços públicos de qualidade.

O portal www.impostometro.com.br permite saber o que os governos podem fazer com todo o dinheiro arrecadado. No portal também é possível levantar os valores que as populações de cada estado e município brasileiro pagaram em tributos.

Jornal Midiamax