Cotidiano / Economia

Gerências aderem à greve dos bancários e paralisação é considerada a maior da história

Cerca de 80% dos gerentes paralisaram as atividades

Tatiana Marin Publicado em 23/09/2016, às 22h47

None
greve-bb.jpg

Cerca de 80% dos gerentes paralisaram as atividades

A greve dos bancários já se arrasta para o 18º dia e, segundo o Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região, é considerada a maior da história, com adesões a cada dia. A adesão dos gerentes vem aumentando há uma semana. Nesta sexta-feira (23) a gerência média do Banco do Brasil também paralisou suas atividades. Segundo o Sindicato, pelo menos 80% dos funcionários que ocupam esse cargo estão sem trabalhar.

Segundo a secretária de Administração e Patrimônio do sindicato e funcionária do Banco do Brasil, Luciana Rodrigues, “em a gerência média, o banco para de funcionar de vez, porque são esses bancários que realizam os negócios que aumentam os lucros do banco”.

De acordo com as informações do Sindicato, desde segunda-feira (19), os funcionários iniciaram um movimento com uma série de reuniões nas diversas agências na tentativa de recrutar gerentes. A ação surtiu efeito e alcançou a adesão da maioria da gerência média do BB em Campo Grande que culminou no fechamento das três agências Estilo, um feito histórico.

A proposta dos bancos é reajuste salarial de 7% mais abono de R$ 3.300 – o que foi rejeitada pela categoria. Os bancários pedem aumento de 14,74%, sendo que 5% é ganho real, além da discussão de outras questões importantes, como: saúde, emprego, segurança e melhores condições de trabalho. Já foram oito rodadas de negociação, agora o Comando Nacional dos Bancários aguarda uma convocação da Fenaban para uma nova reunião, mas os banqueiros estão demonstrando que não querem negociar.

Jornal Midiamax